Nova Vida Após o Dilúvio

527.03Assim que eu descobrir que me desconectei do Criador, da doação, do grupo, de tudo que se relaciona com a espiritualidade, preciso dividir este estado em duas partes: o estado do corpo e o estado da alma.

Todos os princípios corporais que existem em nosso mundo pertencem ao corpo: saúde, humor, ambiente material e família. Por outro lado, tenho que ver como tudo isso cria interferência e afeta minha conexão com a dezena e com o Criador.

É assim que conectamos todos os fatores que nos afetam a uma fonte e estabelecemos que tudo vem do Criador. O dilúvio vem Dele, tanto o dilúvio externo quanto o interno. Se eu entender que tudo vem do Criador, tudo que tenho a fazer é decidir: eu também pertenço ao Criador ou não?

Apenas um ponto de verificação não pertence ao Criador, o ponto no coração. Quando o Criador criou o desejo de receber, Ele o desconectou de Si mesmo, e é por isso que nos sentimos separados Dele.

Eu também devo tentar atribuir minha mente e coração ao Criador. Então, vou descobrir que não tenho pensamentos e sentimentos próprios e que é o Criador que causa todos esses sentimentos em mim, de modo que vou subir acima deles até Ele como a fonte deles.

Meus sentimentos e pensamentos me jogam em estados completamente opostos e confusos, mas eu os percebo como o dilúvio organizado pelo Criador. Ele teve que me enviar o dilúvio para purificar meus desejos, assim como a terra lavada por um rio torrencial é limpa de lixo e pode dar origem a uma nova vida.

Embora esta purificação seja realizada pelas águas do dilúvio, isto é, não apenas pela propriedade de Bina, mas por Bina junto com Malchut, é assim que elas estão unidas, e isso leva à correção. Agora podemos usar essa força e avançar. Este é o início da criação; ou seja, havia uma oportunidade dentro de uma pessoa de se elevar acima de seu desejo egoísta e atribuir tudo o que acontece à força superior, à Bina, à doação.

Uma pessoa entende que o sabotador externo, distúrbios corporais e distúrbios espirituais internos que não permitem que ela suba ao nível de Bina, o nível da fé, todos vêm do Criador. Se ela pode atribuir ambos os sabotadores, ambos os grandes obstáculos apenas ao Criador, ela está livre de pensamentos estranhos no grau de Malchut e no grau de Bina, e atinge a fé acima da razão.

Isso significa que eu não levo em consideração esses dois sabotadores – corpóreos e espirituais – mas me apego apenas à doação, ao Criador. Este é o primeiro ponto na força da fé, na força de Bina acima da força de Malchut.

Portanto, é necessário separar esses dois níveis, distúrbios corporais e espirituais. As perturbações corporais manifestam-se sob a forma de cansaço, perda de forças, doenças, problemas na família, no trabalho, etc. Dentro de todas estas perturbações devemos desvendar a perturbação espiritual: que não quero conexão, não tenho a força, o humor e não posso lutar contra minha preguiça. Este é o segundo sabotador, mais interno, contra o qual precisamos ‘principalmente lutar.

Ambos os sabotadores nos levam a revelar sua causa, o Criador, porque foi Ele quem enviou o dilúvio à terra. E devido a isso, chegamos ao grau de fé acima da razão. Eu estabeleço que ambos os sabotadores vêm da força superior, eu seguro meus amigos e com eles o Criador.

É assim que somos salvos do dilúvio! Nossa conexão com o Criador nos leva à terra firme, saímos da arca e começamos a nos estabelecer na terra. Nesse desejo de receber, que já pode atingir o grau de Bina, estabelecemos nosso novo assentamento; a fé é superior à razão.

Da 1a parte da Lição Diária de Cabalá 21/12/21, Shamati # 104 “E o Sabotador Estava Sentado”

Comente