“O Que É Depressão?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora: O Que É Depressão?

A depressão é o resultado de desejos insatisfeitos.

Somos compostos de vários desejos. Se esses desejos forem satisfeitos, nos sentiremos felizes. Se eles estão parcialmente satisfeitos, sentimos uma insatisfação parcial, um estado em que vivemos e ao qual nos acostumamos.

Tentamos neutralizar essa insatisfação de várias maneiras, seja por meio de remédios e drogas, até todo tipo de entretenimento e objetivos em nossas vidas, e assim conseguimos nos manter um tanto à tona.

Existem certos estados de depressão em que sentimos um vazio profundo, escuro e escancarado, sem sentir nenhuma satisfação no momento presente, e não vemos nenhuma luz no fim do túnel no futuro, o que é realmente muito difícil.

Normalmente vivemos com esperança no futuro. Planejamos vários objetivos para nós mesmos, a fim de cumprir nosso espectro de desejos. Geralmente estamos ocupados com pensamentos sobre comida, sexo, família, recreação, ganhar dinheiro, ganhar respeito na sociedade, acumular conhecimento e algumas pessoas até desejam adquirir posições específicas de fama ou poder. Desenvolvemos uma miscelânea de maneiras pelas quais satisfazemos esses desejos, e eles agem como distrações de questões existenciais mais profundas, permitindo-nos viver nossas vidas em um certo nível superficial. No entanto, quando eles são engolidos pela escuridão, somos inundados pela depressão e estamos até prontos para morrer. Há um ditado Cabalístico sobre tal estado: “Minha morte é melhor do que minha vida”.

No momento em que começamos a sentir esses estados de depressão, nos perguntamos sobre as questões existenciais que antes tínhamos sido capazes de encobrir com sucesso. No final do dia, a depressão é um sentimento que nos leva a buscar fora de nossas estruturas habituais para encontrar uma resposta às perguntas sobre o sentido e propósito da vida, e precisamos experimentar um certo nível de depressão para buscar a alma.

Se encontrarmos sentido e propósito em servir aos nossos desejos de comida, sexo, família, recreação, dinheiro, honra, controle e conhecimento, ou seja, se formos capazes de nos divertir, quer cumprindo esses desejos diretamente ou imaginando sua satisfação futura, então as questões existenciais mais profundas da vida permanecem enterradas sob essa busca de prazer. Em outras palavras, encontramos sentido no nível animado de existência da vida. Se, no entanto, não encontramos satisfação em servir a tais desejos, experimentamos depressão, que é, em última análise, uma sensação que deve nos levar a buscar ativamente o sentido e o propósito da vida.

Devemos entender que nosso mundo é um mero trampolim do qual precisamos saltar para uma dimensão superior. Podemos descobrir a dimensão superior da existência enquanto estamos vivos neste mesmo mundo, em nosso mesmo corpo.

O processo de desenvolvimento através do qual a natureza nos guia é para que possamos, em última instância, buscar e alcançar o sentido da vida. Os estados de depressão aparecem com mais frequência e intensidade quanto mais nos aproximamos da transição entre a descoberta da falta de sentido na busca pela satisfação dos desejos corporais e a busca por um sentido mais elevado. Em outras palavras, a crescente insatisfação que sentimos em buscar a satisfação de nossos desejos corporais já é uma expressão de nossas questões existenciais mais profundas.

Na sabedoria da Cabalá – um método que foi criado especificamente para responder às perguntas sobre o sentido e propósito de nossa vida, fornecendo um método para atingir uma dimensão, percepção e realização superiores – chama nossos desejos corporais além da satisfação de meras necessidades de “ajuda contrária”, É porque o vazio que atualmente ou eventualmente descobrimos nesses desejos nos empurra a buscar o verdadeiro sentido e propósito da vida além de nossa existência animada.

Baseado em uma lição de Cabalá com o Cabalista Dr. Michael Laitman em 2 de outubro de 2016. Escrito/editado por alunos do Cabalista Dr. Michael Laitman.
Foto de Warren Wong no Unsplash.

Comente