Desejo E Intenção

610.2De acordo com a sabedoria da Cabalá, inicialmente, apenas o Criador existia – o desejo de doar e realizar. Para que Ele pudesse realizar esse desejo, Ele criou o desejo de receber, de ser realizado. Esta é a matéria da criação.

Como resultado, todo o universo consiste em duas qualidades opostas: o desejo de doar, de preencher, de amar, as qualidades do Criador, e o desejo de receber, de preencher apenas a si mesmo, mesmo às custas dos outros, das qualidades de criação.

O desejo de receber não precisa doar para mudar e se tornar semelhante ao Criador. Não pode emanar nada de si mesmo. Mas pode receber a fim de doar como uma criança comeria para agradar sua mãe, e embora ela receba fisicamente em ação, ela está na verdade doando enquanto age a fim de agradá-la. Fazemos o mesmo com relação ao Criador.

Recebemos tudo Dele, mas se nos restringirmos e concordarmos que receberemos apenas a fim de Lhe trazer contentamento, nos tornamos os doadores, iguais ao Criador. Ele nos doa porque Ele é a própria qualidade de doação, nós recebemos com a intenção de trazer-Lhe contentamento e, então, somos iguais a Ele.

A equivalência de qualidades com Ele revela o Criador para nós, e começamos a sentir, compreender, explorá-Lo e estar em contato absoluto com Ele.

Então, o Criador tem apenas o desejo de doar. A criação tem um desejo e uma intenção: o desejo de receber e a intenção “para meu próprio bem” ou “para o bem dos outros”, incluindo “para o bem do Criador”.

Ao alterar os desejos de uma pessoa de maior para menor e suas intenções “para o seu próprio bem” ou “para o bem dos outros”, uma pessoa pode se elevar ou se abaixar em relação ao Criador, aproximar-se ou afastar-se Dele. Nesse caso, a intenção muda a essência da própria ação. Esse é o ponto de nossa correção.

Não podemos mudar a ação, mas mudando a intenção de “para nosso próprio bem” para “para o bem dos outros”, o significado de nossa ação pode mudar para o oposto e se tornar doação em vez de recepção. Se eu recebo do Criador a fim de Lhe trazer contentamento, sou considerado aquele que Lhe dá prazer, isto é, o doador.

É assim que começamos a entender o nosso trabalho: combinando corretamente o desejo de receber com a intenção de doar, uma pessoa se forma corretamente, ajusta-se em relação ao Criador. Isso é chamado de trabalho em três linhas.

De KabTV, “Conversa sobre O Livro do Zohar

Comente