Maternidade Em Crise

552.03Comentário: Um artigo interessante apareceu em Rosbalt: “A Terapeuta Explicou Porque A Maternidade Está Em Crise”  em que, “A especialista [Otta Maria Bloch] lembrou que a maternidade em geral está passando por uma crise nos dias de hoje, e entre os motivos não está apenas a mudança de posição de uma mulher, que deve ter tempo para ter uma carreira, criar filhos e permanecer uma esposa amorosa.

“’A atitude em relação à maternidade também é influenciada pela velocidade crescente da vida, um fundo denso de informações e uma mudança nos valores em relação ao amor-próprio. Agora, para muitos, o sucesso é o bem-estar financeiro, a capacidade de se divertir aqui e agora, sem investir muito esforço nisso. E a paternidade em si pressupõe não receber, mas dar”, observou Maria Blokh.

Pergunta: Qual é o seu comentário sobre isso?

Resposta: Chegamos a tal egoísmo que não queremos filhos! Não queremos criar filhos, não queremos dar nem mesmo aos nossos filhos. Deixe-os crescer como quiserem ou deixe o Estado provê-los e cuidar deles. Nós não.

Esta é a maternidade em crise, esta é a família em crise em geral. E o que é uma família se não há filhos? Se antes as pessoas eram contra internatos, creches e outras instituições semelhantes, hoje é o contrário: “Como posso mandar meu filho para algum lugar para que eu possa cuidar de mim mesma”, diz uma mulher moderna.

Comentário: Voltaremos à maternidade normal?

Minha Resposta: Acho que vamos. Através do sofrimento, mas virá.

Pergunta: É correto dizer que a paternidade em si não envolve receber, mas dar?

Resposta: Claro.

Pergunta: Então, temos uma crise de doação?

Resposta: Sim. Em geral, toda a natureza é construída sobre o fato de que aprendemos, por meio de nossa atitude em relação aos filhos, a dar, depois a dar aos outros: adultos, outros, a sociedade e, então, a toda a natureza.

Pergunta: Mas vemos que uma mãe gosta imensamente quando seu filho sorri para ela ou pega uma colher de mingau. Vemos que é um grande prazer. Para onde isso vai? Por que elas não querem continuar com isso, para ter mais filhos?

Resposta: Elas não têm culpa. A natureza as fez assim. Quer que as pessoas percebam o quão egoístas elas são, que esse egoísmo as move e, portanto, elas são boas mães.

Pergunta: De outra forma, como você pode dar à luz?

Resposta: Você deve primeiro mudar o objetivo e depois dar à luz.

Pergunta: Qual deve ser o objetivo? Por que estou dando à luz uma criança?

Resposta: Apenas pelo bem do mundo. Para que haja mais pessoas boas e justas no mundo, vou dar à luz e criar meus filhos dessa maneira. É por isso que vou dar à luz a eles. Chegamos ao ponto em que devemos lidar corretamente com a intenção: Qual é a razão de eu estar fazendo isso?

Pergunta: Ou seja, a intenção se tornará a coisa principal quando eu der à luz uma criança?

Resposta: Sim. Primeiro a intenção, depois a ação.

Pergunta: É por isso que esta crise está acontecendo agora?

Resposta: Sim.

Pergunta: Mas isso vai acontecer?

Resposta: Isso definitivamente vai acontecer!

Pergunta: É assim que eles vão dar à luz filhos?

Resposta: Sim. E será um novo mundo.

Pergunta: Esses filhos serão mais felizes?

Resposta: Claro! Eles serão atendidos de uma maneira diferente e sentirão que estão nascendo em um novo mundo e que desejarão viver neste mundo.

Pergunta: As mães também serão mais felizes?

Resposta: Claro. Elas saberão por que seu filho cresce, vive e existe. Elas sentirão a própria natureza do infinito.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 12/08/21

Comente