“Dias De Penitência Da Humanidade” (Linkedin)

Meu novo artigo no Linkedin: “Dias De Penitência Da Humanidade

Essa semana começam os Dez Dias de Penitência. Naquela época, tradicionalmente, os judeus se arrependiam de seus erros durante o ano passado e pediam perdão uns aos outros e ao Criador do mundo. Olhando para o ano passado, no entanto, parece que o mundo inteiro precisa passar por um processo de arrependimento. Em vez de orar para que as tragédias parem, devemos entender que as causamos a nós mesmos; portanto, se pararmos o que estamos fazendo de errado, as tragédias também irão parar.

Arrependimento não significa remorso. Significa, antes de mais nada, uma reflexão sobre o que fizemos de errado e um compromisso de mudar daqui para frente.

Quando eu era criança, podia escapar impune de quase tudo. Meus pais e todos ao meu redor perdoavam minha maldade e atribuíam isso à minha idade. À medida que fui crescendo, as pessoas mudaram gradualmente de atitude em relação a mim; se tornaram mais rígidas e severas, e às vezes até me puniam, e eu não entendia por quê. Quando perguntei a minha mãe sobre isso, ela me explicou que eu não era mais um menino e que, como estava crescendo, tinha que me comportar de acordo. E quando não me comportava, elas me reprovavam.

Estamos todos nesse estado agora. Nós, a raça humana, não somos mais crianças. Crescemos, nos tornamos extremamente poderosos, mas continuamos tão travessos como quando éramos crianças. Como resultado, todos ao nosso redor, toda a realidade, estão nos repreendendo. Assim como os adultos me punem quando não atinjo o nível de maturidade que eles esperavam de mim, a natureza nos pune quando nosso comportamento é infantil em comparação com a forma como devemos nos comportar.

A diferença entre uma criança e um adulto está na relação com os outros. Uma criança vê apenas a si mesma; um adulto vê o coletivo e a si mesmo como uma parte contribuidora e positiva do coletivo. Uma criança gosta de conseguir o que quer; um adulto gosta de contribuir para o coletivo, para a comunidade e encontra recompensa e satisfação na alegria dos outros.

A natureza está nos incentivando a ir nessa direção: nos tornarmos mais atenciosos e cuidadosos. Os desastres naturais do ano passado (e dos anos anteriores) não são castigos da natureza; são consequências de nossa anterior falta de consideração uns para com os outros e para com a natureza. Se mudarmos nossa mentalidade, eles irão parar, pois é nossa mentalidade egocêntrica que os causa.

Os Dez Dias de Penitência são um lembrete para todos nós refletirmos sobre como nos tratamos. É uma chance de reconhecer o dano que estamos causando por meio de nosso narcisismo e fazer um esforço comum para nos reformar, para o benefício de todos.

Comente