Educar Pessoas

272Pergunta: Hoje, as pessoas vão a todos os tipos de manifestações sem ainda perceber que não estão lutando contra a injustiça, rendimentos desiguais, educação deficiente, mas contra sua própria inutilidade.

Agora, não são apenas as profissões individuais que estão desaparecendo, mas camadas inteiras da economia sobre as quais os países se baseavam. Não apenas a alta tecnologia, mas também as indústrias mais comuns estão deixando as pessoas irem.

Logo não haverá mais caixas, não haverá pessoas que distribuem e recebem. Tudo isso será feito por máquinas e algoritmos.

Agora chegamos ao que estávamos falando há 15 anos: como ocupar as pessoas. Você tem que pagar a elas uma renda básica para mantê-las ocupadas.

Hoje já começam a falar sobre isso: “Sim, vamos pagar às pessoas. Elas deveriam vir e estudar história, cultura, qualquer coisa, regar árvores, plantar novos parques de 2 a 3 horas por dia”. Mas elas devem tratar isso não como trabalho, mas como algum tipo de ação.

Você vê nisso os primeiros passos em direção a uma sociedade da qual tem falado o tempo todo?

Resposta: Em geral, isso pode ser visto como uma espécie de primeiro passo. Mas como vamos criar uma nova pessoa, alguém que terá, não apenas a propriedade de recepção, mas também a propriedade de doação? E aqui, é claro, as pessoas precisam ser educadas.

É por isso que dizemos que elas serão capazes de estudar algumas horas por dia, aprender o mecanismo de doação, ouvir palestras e discutir isso entre si.

Pergunta: Mas até que Israel perceba isso, o resto do mundo não vai saber? Ou pode ser executado em paralelo?

Resposta: Não, não acho que possa ser feito em paralelo. Ainda tem que vir daqui. A raiz interna de mudar o mundo, seja qual for e para onde quer que vá, ainda vem do povo judeu.

De KabTV, “Algoritmos em Vez de Pessoas”, 04/08/21

Comente