“A OMS Está Pedindo Consideração” (Linkedin)

Meu novo artigo no Linkedin: “A OMS Está Pedindo Consideração

A Organização Mundial da Saúde (OMS) está pedindo aos países que têm vacinas suficientes para uma dose de reforço (terceira dose) que esperem, para que os países pobres onde as pessoas não receberam a primeira injeção possam tomá-la. Ninguém está levando seu pedido a sério, mas a OMS ainda está pedindo sua consideração.

Eu não entendo esse pedido. Em todo o mundo, a abordagem é que cada país se defenda por si mesmo, então quem a OMS espera que atenda a tal pedido? É triste que nem todos tenham recebido a vacina ainda, mas isso não é uma questão para um país decidir, mas para organizações internacionais como a própria OMS para iniciar e realizar. Se o próprio Ministério da Saúde de um país não pode cuidar da população desse país, as organizações internacionais devem intervir e ajudar. É por isso que existem tantas organizações, que são financiadas por países ricos precisamente para ajudar os menos afortunados.

Além disso, acho que o problema não está na quantidade de doses, mas na organização e distribuição. Há muitas doses para todos. O problema é que no mundo que construímos, cada um se defende sozinho; ninguém se sente responsável e não há responsabilidade mútua, certamente não entre os países. Tudo é determinado pelo dinheiro e pela corrupção.

Se quisermos mudar a forma como as coisas funcionam, temos que mudar a forma como trabalhamos. A pandemia nos trata igualmente; infecta a todos indiscriminadamente. Portanto, se quisermos superá-la, devemos também nos tratar com igualdade, pois se você deixar um local sem vigilância, esse local se tornará fonte de novas infecções.

Uma vez que nos organizamos verdadeiramente como uma família, talvez por meio de uma nova organização, sem relação com as organizações antigas e decadentes, devemos consultar a todos, obter os dados completos de todos os lugares e decidir o que e quanto vai para onde. Se pensarmos na humanidade como uma família, decidiremos o que é melhor para toda a família e tiraremos as conclusões certas. Mas para fazer isso, primeiro devemos nos ver como uma família e, então, seremos capazes de tomar as decisões certas levando todos em consideração.

Comente