Uma Pandemia Viral Multiplicada Pela Pandemia Do Egoísmo

290Só as boas forças vêm de cima até nós, mas se não estamos prontos para recebê-las, as sentimos como golpes. É o caso do coronavírus. Se estivéssemos dispostos a aceitar essa força, que acabou chegando até nós na forma de uma pandemia, se nos uníssemos para nos aproximarmos internamente diante do perigo, ela não teria se manifestado.

Veja como os animais se unem contra um desastre comum. Quando correm juntos, fugindo de uma enchente ou incêndio florestal, eles não se atacam mais. Eles sentem que devem salvar suas vidas, e seu instinto predatório é suprimido pelo instinto de autopreservação.

Agora estamos na mesma situação. Os golpes que sentimos da natureza ou do Criador, a força superior, devem nos empurrar para conclusões corretas sobre como nos livrar deles.

Precisamos ver como os animais se comportam: quando fogem do perigo, eles não se atacam. O instinto do predador desaparece e apenas o instinto de luta pela vida permanece. Se pegássemos um exemplo do nível animal, teríamos derrotado a pandemia corretamente e conseguido sair desse estado.

Mas o problema é que não estamos no nível animal. Somos animais mimados porque temos egoísmo humano, que envenena tudo.

Portanto, não podemos nem mesmo pensar na direção da conexão, unidade e proximidade para escapar da pandemia. Mesmo no contexto de uma pandemia global, governos e indivíduos estão tentando lucrar e lucrar uns com os outros porque acreditam que isso lhes trará riqueza e sucesso.

Assim, eles tornam os problemas duas vezes maiores, incorrem no dobro dos problemas. Em vez de estarem juntos com outros e, assim, suavizar a força de Gevura, eles multiplicam o poder do mal. Portanto, teremos que aprender com o sofrimento.

A pandemia não vem para deixar as pessoas doentes ou matá-las, mas para nos ensinar como nos comportarmos uns com os outros. Mas, por enquanto, vemos que não estamos aprendendo, mas vamos na direção oposta, ou seja, o caminho do sofrimento. Cada país pensa que pode ter sucesso e vencer às custas de outros países e nações. Esse é o erro.

Porém, gradualmente, sob esses golpes, desceremos para a sobrevivência simples como no nível animal, e começaremos a ver que vale a pena ajudar uns aos outros e não machucar os outros quando estão fugindo juntos de um desastre comum.

Da Lição Diária de Cabalá 16/07/21, “A Ruína como Oportunidade de Correção”

Comente