“Precisamos Educar O Sistema Educacional” (Linkedin)

Meu novo artigo no Linkedin: “Precisamos Educar O Sistema Educacional

Já se passou um ano e meio na era do Corona, e a escolaridade foi restrita, limitada e mudou de muitas maneiras desde a era pré-Covid. Do ponto de vista do sistema educacional, a Covid-19 fez mais mal do que bem: as crianças são mais propensas a depressão, isolamento social, regressão nas realizações acadêmicas, bem como maiores chances de abandono escolar. No entanto, a meu ver, o problema não é com a Covid, mas com os educadores que não aproveitaram o momento para reformar o obsoleto sistema de ensino. Eles tentaram “copiar e colar” uma plataforma física com problemas em uma plataforma virtual, em vez de capitalizar os benefícios da arena online.

Crianças e jovens adultos são muito mais hábeis quando se trata de utilizar ferramentas online, como mecanismos de busca e enciclopédias online ou outros sites que fornecem informações acessíveis e gratuitas. A escolaridade, portanto, deve ser adaptada à nova realidade e deve ocupar muito menos tempo do que era necessário durante a era pré-Covid. Em vez de forçar os antigos métodos de ensino à nova realidade, os educadores deveriam dedicar o tempo abundante que foi liberado pela disponibilidade de informações àquilo que as pessoas realmente precisam aprender hoje: como conduzir relacionamentos positivos.

As taxas de depressão e agressão estão disparando, não porque as pessoas não saibam o suficiente sobre a história americana ou por causa de suas habilidades matemáticas. Elas ficam deprimidas porque não conseguem se comunicar com as pessoas de maneira significativa e positiva. Quando não conseguem encontrar pessoas de confiança, elas se sentem sozinhas e sem esperança. Como o problema é nacional, deve ser tratado por meio do sistema educacional e as autoridades devem designar educadores especiais para ensinar as pessoas a interagir, a cuidar umas das outras.

Na era global, estamos todos conectados. Quando nos comportamos de forma contrária, como fazemos hoje, prejudicamos a nós mesmos e aos outros. Para resolver o problema, os educadores devem trabalhar tanto no nível informativo quanto no nível emocional. As pessoas devem aprender sobre a natureza interconectada da realidade atual, como os atos de uma pessoa impactam a vida de todas as outras, mesmo quando não sentimos isso imediatamente. Ao mesmo tempo, os educadores devem cultivar atitudes de responsabilidade mútua entre crianças e jovens, bem como entre adultos.

Os dois níveis, informativo e emocional, se complementarão e criarão uma nova base sobre a qual devemos construir uma sociedade de pessoas felizes, que se sintam conectadas, apreciadas e confiantes em seu ambiente.

O mundo pós-Covid não voltará à mentalidade competitiva e insensível que caracterizava o mundo antes do surto. Para colher o máximo dos benefícios da transformação pela qual a sociedade humana está passando, devemos nos educar sobre ela e praticar a vida de acordo com seus novos códigos sociais de responsabilidade mútua e preocupação com todos. Quanto mais cedo começarmos, melhor.

Comente