“O Que É Crítica Proposital?” (Linkedin)

Meu novo artigo no Linkedin: “O Que É Crítica Proposital?

A crítica é uma característica que existe em todos nós, em um grau ou outro. É resultado direto de nossa natureza egoísta. O egoísmo constantemente nos impele a nos testar e nos comparar com os outros, a fim de obter a melhor e mais confortável posição em relação a eles. Mas essa comparação constante permanece em nossa cabeça como um fardo, destaca as falhas e localiza prontamente as deficiências em todos os assuntos.

A crítica compulsiva nos faz perder a paciência e o controle e nos leva a rejeitar tudo o que nos parece estranho ou diferente. De acordo com a percepção do ego, nos colocamos no centro da criação; portanto, exigimos ser aceitos incondicionalmente do jeito que somos. Isso é algo negativo? Não, é um sentimento natural. Mas essa aceitação não funciona ao contrário. Julgamos os outros e se vemos que eles estão em uma posição melhor ou têm melhores qualidades aos nossos olhos, nos sentimos decepcionados e até deprimidos porque buscamos constantemente ser vistos como mais bem-sucedidos e superiores em relação aos demais.

As infinitas comparações com outras pessoas nos impedem de ter relacionamentos bons e saudáveis. Faz com que estejamos em constante atrito uns com os outros e nos impede de chegar a um acordo e entendimento mútuo. E se todos se importam apenas com sua própria bondade e justiça, um belo vínculo com os outros nunca pode ser formado.

Não há truques para lidar com essa abordagem de julgamento que nosso egoísmo nos obriga a assumir, nenhuma panaceia funciona nisso, nenhum exercício psicológico ou argumentos filosóficos, nem pode ser reprimida e suprimida. Por quê? Porque a natureza humana nos impulsiona a alcançar apenas o que é para o nosso próprio benefício e a procurar defeitos apenas fora de nós.

“A pessoa julga os outros de acordo com suas próprias falhas”, escreveram nossos sábios. As imperfeições que vemos nos outros são, na verdade, nossas próprias imperfeições. Elas são uma projeção do que precisamos melhorar em nós mesmos, do que precisamos consertar mudando toda a nossa visão egoísta de mundo para uma visão altruísta e aprendendo a ver os outros como parte integrante de nós mesmos.

Precisamos começar a nos envolver em um novo tipo de crítica na qual começamos a examinar a nós mesmos, nossas vidas, nossa natureza, a fim de equilibrar nosso egoísmo arrogante que evoca críticas destrutivas dos outros. O autoexame nos ajudará a nos elevar e observar nossa condição de uma perspectiva elevada, e a despertar grandes forças que jazem nas profundezas da natureza para nos ajudar a descobrir uma nova atitude em relação ao ambiente.

Tudo o que acontece em nossas vidas é transmitido de cima, por isso devemos olhar para o futuro em vez de sofrer com o passado. A sabedoria da Cabalá nos ensina que não podemos realmente mudar nada por nós mesmos, mas só podemos atrair a força positiva da natureza por meio de nossos esforços para ter boas relações com os outros. Essa força da natureza será capaz de contrabalançar a negatividade que está em nós e equilibrar nosso egoísmo natural. Se atrairmos a força positiva, deixaremos de julgar nossos vizinhos e não haverá necessidade de nos “devorarmos” com a culpa pelo passado. Como está escrito: “O tolo cruza as mãos e devora a sua própria carne” (Eclesiastes 4: 5)

Portanto, a revelação de nosso ser egoísta como resultado do autoexame deve atuar como um trampolim pelo qual saltamos para agir de forma amorosa e carinhosa oposta para com os outros, acima do ego. Se essa autocontabilidade se tornar parte de nossa nova natureza, o que iremos julgar? Mediremos a proximidade ou separação entre nós e os outros, e a força dos esforços necessários para preencher essa lacuna e nos aproximar uns dos outros. Esse é o único tipo de crítica ou avaliação útil e intencional que devemos fazer se quisermos alcançar o equilíbrio e melhorar nossas vidas.

Comente