“Como Sair Da Pandemia Em Um Mundo Dividido” (Linkedin)

Meu novo artigo no Linkedin “Como Sair Da Pandemia Em Um Mundo Dividido

A Covid-19 dividiu o mundo entre aqueles que apoiam fortemente a necessidade de vacinação em massa para enfrentar a pandemia e aqueles que se opõem veementemente à inoculação obrigatória e às restrições, tomando as ruas da Europa e da América para expressar seu descontentamento. À medida que a variante Delta se espalha pelo mundo, apenas nos EUA, uma média de 43.000 novos casos são relatados todos os dias, um aumento de 65% em uma semana. Como podemos sair da pandemia em um cenário tão dividido?

Está escrito: “Eu habito entre o meu próprio povo” (2 Reis 4:13) – uma declaração que significa: Eu faço parte da sociedade em que vivo e compartilho o estado de espírito do público. Se a vacina é aceitável para a maioria das pessoas e recomendada pelas autoridades de saúde, devo sair e ser vacinado. Não me afasto das pessoas e não me considero mais um especialista do que os especialistas.

Foi assim que escolhi e continuarei a escolher agir, e certamente não determinarei escolhas para meus conhecidos ou alunos, nem tenho autoridade para fazer isso. Cada pessoa é livre para tomar uma decisão independente, e eu respeito e aceito com muito amor cada um e as escolhas que cada um faz.

Faz sentido que existam preocupações e objeções – ansiedade do desconhecido e medo dos riscos de fracasso – e outras dúvidas surgidas de pessoas envolvidas na área médica. Essas vozes foram ouvidas e ressoaram no espaço público desde o dia em que a praga estourou. No entanto, não chegaremos a uma conclusão unânime em meio ao turbilhão de rumores intermináveis.

Os sábios nos escreveram em preto e branco sobre uma lei espiritual: “Foi ensinado na escola do Rabino Ismael sobre o versículo: ‘Ele o fará ser completamente curado’ (Êxodo 21:19). Com isso, aprendemos que foi dada permissão ao médico para curar” (Talmude Babilônico, Berachot, 60a). A força suprema da natureza cura por meio de um representante da sociedade, o médico.

É verdade que a medicina de hoje tem falhas fundamentais. Isso também se aplica a todos os outros sistemas que construímos, porque quando as relações entre os seres humanos são rompidas e as conexões entre nós são egoístas, a própria sociedade é rompida. Naturalmente, essa falha também afeta os próprios sistemas. E ainda, apesar de todas as coisas negativas e positivas que fazem parte do campo médico, é a natureza agindo por meio dele a fim de curar.

A medicina não é nem melhor nem pior do que os seres humanos que dela dependem. Os médicos não são anjos e os sistemas de saúde não são o paraíso, mas com todas as deficiências que temos, a situação médica ainda é o serviço de que necessitamos. Em outras palavras, a atual medicina deteriorada se veste como uma luva em nossa sociedade deteriorada.

Se fôssemos melhores, seríamos curados dessa praga da Covid por forças mais naturais, ou encontraríamos soluções mais criativas. Mas não estamos corrigidos. Todos podem ver que a humanidade é uma sociedade que se alimenta desde dentro. As pessoas se comportam mal umas com as outras. Estamos trancados dentro de nós mesmos com cálculos egoístas, ignorando o fato de que não estamos sozinhos, que estamos todos conectados e interdependentes. Portanto, infelizmente, não podemos esperar pela cura até que tudo na sociedade humana funcione adequadamente. Nesse ínterim, temos que nos recuperar dessas doenças, e as soluções disponíveis revestem-se de matéria, de química, de vacinas.

Se fizermos uma mudança para melhor na sociedade – se nos tornarmos uma sociedade mais solidária, amorosa, atenciosa, próxima e saudável – a medicina física também mudará para melhor. Mas isso nunca vai acontecer ao contrário. A medicina não mudará para melhor até que mudemos.

Então, em todas as áreas e em todas as situações de nossas vidas, quando nos tornarmos mais corrigidos, nosso mundo também será mais corrigido. As pragas irão desaparecer, o ar será purificado, a água irá limpar, os vulcões irão se acalmar, os furacões e outras forças duras irão diminuir. Tudo depende de nosso estado interior, de nossos relacionamentos uns com os outros.

Comente