“Ovnis Ou Sinais Do Poder Supremo?” (Linkedin)

Meu novo artigo no Linkedin: “Ovnis Ou Sinais Do Poder Supremo?

No final da década de 1970, quando eu servia na base da Força Aérea Israelense, luzes piscantes pairavam acima de nós como lanternas acesas. Pode-se dizer que sou louco, mas não só os vi, várias centenas e até milhares de pessoas também se lembram de vê-las por vários dias e noites. Lembro-me de como nos falamos maravilhados: O que poderia ser? O que está acima de nós? O que nos ilumina assim? E embora tenhamos servido na Força Aérea nunca tivemos uma explicação para o fenômeno.

O Pentágono divulgou recentemente um relatório detalhado com registros de 144 avistamentos de objetos voadores não identificados vistos nos Estados Unidos nos últimos 17 anos em áreas militares fechadas. Na América e em todo o mundo, as pessoas estão esperando por este relatório há meses, esperando receber uma resposta oficial: Existe uma explicação para os OVNIs? No final, o Pentágono não relata nenhum sucesso em explicar os fenômenos e também nenhuma confirmação de que algo se originou fora da Terra. Em suma, permanece um mistério.

Embora eu não tenha lido o relatório, é claro para mim que existem muitos fenômenos na natureza que também não compreendemos de todo. Esses objetos voadores não identificados ou OVNIs são chamados assim apenas porque sua origem e essência não são reconhecidas por nós. Se quisermos reconhecer e compreender esses ou quaisquer outros eventos misteriosos, precisamos aprender como percebemos a realidade em geral, como o mundo é retratado aos nossos olhos.

“Aos nossos olhos” está na verdade em nossa mente. A realidade é apreendida em nossos cinco sentidos, em nossa imaginação, ou existe fora de nós, independentemente de nossas ferramentas perceptivas? Em geral, todos imaginam a realidade de forma diferente. Não há como saber que o que uma pessoa percebe e o que outra percebe é a mesma coisa.

De uma perspectiva mais ampla, perceberíamos muito mais formas ao nosso redor do que apenas aquelas que são observadas com olhos comuns em nossa percepção sensorial. Mesmo enquanto você lê estas linhas, muitos fenômenos ocorrem que somos incapazes de perceber. A questão não é se esses fenômenos existem ou não, mas o que queremos derivar de conhecê-los?

A humanidade sempre se sente atraída por situações que parecem deslocadas da natureza, mas somos atraídos por elas de uma forma infantil e pouco séria, e tendemos a produzir um misticismo fantástico em torno delas. Portanto, a humanidade não obtém nenhum benefício de se envolver neste tipo de atividade. As pessoas simplesmente se referem ao fenômeno como alienígenas pousando de um planeta distante, de outra civilização, e nunca se preocupam em indagar mais e perguntar o que está por trás desses eventos. A sociedade é cativada pela imagem alienígena de Hollywood: criaturas com grandes cabeças ovais e olhos puxados que chegam à noite para sequestrar humanos. Isso não é mais do que uma invenção criativa dos seres humanos.

A sabedoria da Cabalá fala de forças espirituais que não estão revestidas de matéria material. Essas forças descem até nós de sua fonte, do Poder Supremo, operam em todo o universo, acima do tempo, movimento e espaço, e podem ser chamadas pelo nome de “anjos”. Também aqui é importante não relacioná-los com as pinturas fictícias das lendas de criaturas aladas. Em vez disso, essas são forças abstratas e transitórias de enorme poder semelhantes à força magnética, campos elétricos de radiação ou uma espécie de campo gravitacional. As forças em si não podem ser vistas ou sentidas, mas são conhecidas apenas por sua ação. Sentimos sua manifestação, mas nunca as próprias forças.

A fim de compreender a realidade mais ampla, compreender o mistério da vida e descobrir os poderes que nos cercam, devemos nos esforçar para começar a compreender o quadro amplo, o sistema que envolve todos nós.

Se mudarmos nossa percepção da realidade – em vez de absorver a realidade por querer receber prazer apenas para nós mesmos, o que bloqueia e limita nossas ferramentas de absorção – agiríamos de forma reversa, de dentro de um desejo de dar, em uma atitude de dar a outros, assim como a força superior da natureza funciona.

Deste ponto oposto de percepção, perceberíamos que todas as pequenas revelações e observações sensoriais vêm da Força Superior que chama nossa atenção para algo que não está exatamente dentro da natureza comum. Descobriríamos que é para começarmos a fazer perguntas mais substantivas sobre a vida e descobrir a verdadeira resposta, o poder que gera, sustenta e desenvolve o mundo.

Comente