“Os Dez Mandamentos Vieram De Deus?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora: Os Dez Mandamentos Vieram De Deus?

O verdadeiro significado dos dez mandamentos nos escapa neste mundo, e é comum nos referirmos a eles simplesmente como instruções de Deus para a moralidade humana. No entanto, os dez mandamentos significam algo totalmente diferente.

Os dez mandamentos são limitações que aplicamos ao uso de nossa natureza, o desejo de desfrutar, que na sabedoria da Cabalá é chamado de “Malchut”. Na linguagem da Cabalá, essas limitações são “Masach” (“tela”) e “Ohr Hozer” (“luz refletida”) colocados em Malchut, o que em suma significa aplicar uma intenção de amar, doar e conectar-se positivamente um ao outro e a nossa fonte comum. Quando nosso desejo de desfrutar, Malchut, aceita essas limitações, torna-se o lugar para o tempero das dez Sefirot, e por isso é chamado de “os Dez Mandamentos”.

Um mandamento, que em hebraico é “Dover“, deriva da raiz hebraica da palavra “enunciado” (“Dibur“), que nasce na Peh (boca) do Partzuf (entidade espiritual), conhecido na Cabalá como o “Peh de Rosh” (ou seja, o lugar em nossa alma onde agimos em nossa decisão de nos assemelhar à qualidade espiritual de amor, doação e conexão, e que recebe a capacidade de amar e doar de acordo com a força da intenção de doar). Essas ações são realizadas no mundo de Atzilut, o mais elevado dos mundos espirituais que está mais próximo da qualidade pura de amor e doação, a qualidade do Criador.

Recebemos os dez mandamentos somente depois de nos conectarmos uns aos outros “como um homem com um coração”, a fim de nos elevarmos acima dos desejos egoístas violentos que resistem à conexão e que nos tornam odiosos uns aos outros. Essa enorme qualidade egoísta é representada na história da Bíblia pelo Monte Sinai (“Sinai” da palavra hebraica para “ódio” [“Sinah”]). Se não conseguirmos nos conectar positivamente uns com os outros a fim de nos elevarmos acima do ego que nos divide, também não podemos descobrir ou observar qualquer um dos dez mandamentos. Temos que estar em um nível espiritual de realização, ou seja, o nível de “Bina“, uma das dez Sefirot que representa a qualidade pura de doação, a fim de ter o ouvido (Bina é a raiz espiritual do nosso sentido de audição) para ouvir as dez declarações do Monte Sinai. Em outras palavras, precisamos atingir um certo nível de equivalência de forma com o Criador, a fim de observar os dez mandamentos.

Podemos alcançar um nível espiritual onde descobriremos e observaremos os dez mandamentos passando primeiro por um período de preparação neste mundo, onde nossa ênfase principal deve ser alcançar a conexão “como um homem com um coração”, e só então observaremos os mandamentos. Caso contrário, não teremos a capacidade de compreendê-los. Em suma, “ame o seu próximo como a si mesmo” é a base de toda realização espiritual e ascensão a um nível espiritual.

Com base na 1a parte da Lição Diária de Cabalá em 3 de junho de 2014, Shamati 66, “A Entrega da Torá”. Escrito/editado por alunos do Cabalista Dr. Michael Laitman.
Foto de Clint Adair no Unsplash.

Comente