A Dança Conquista Almas

552.03Uma pergunta é feita a você no Instagram:

Eu sou um dançarino. Tenho 31 anos de idade. Eu trabalho como treinador de crianças e no decorrer do meu trabalho cheguei à conclusão de que o principal princípio para mim é não machucar ou quebrar a criança. Além disso, o esporte da dança em si não é dançar, mas sim o que posso ensinar às crianças para sua vida futura. É assim que penso.

Minha pergunta é: como posso orientá-las e ajudá-las a se encontrarem no futuro? Como posso ter certeza de que não vou quebrar ou matar a singularidade com que elas vêm até mim? Como devo definir minha tarefa com cada criança? Como devo entender o que cada criança precisa de mim se elas vieram até mim?

Diferentes tipos de crianças vêm; aquelas que são dançarinas incrivelmente talentosas e aquelas que não deveriam treinar. No entanto, nós nos encontramos por um motivo, embora, talvez eu esteja enganado sobre isso. Por favor me ajude a descobrir isso. Com muito respeito, Yegor.

Resposta: Aqui está minha resposta. Primeiro, todos os que vêm a você são conduzidos a você. A força superior os conduz; não há acidentes no mundo. Portanto, você deve valorizar cada criança, não só porque ela é especialmente apta para dançar, mas pelo fato de ter sido conduzida até você.

Seu próximo passo é muito importante. Talvez ela a deixe agora e não volte mais; no entanto, ir até você e ir embora também terá um certo papel, possivelmente grande, na vida dela.

Você já está se tornando um participante do destino dela. Portanto, você deve fazer com que a imaginação dela de você, da dança e da sua arte permaneça positiva, mesmo que seja passageira. Esta é a primeira coisa.

Em segundo lugar, tente dar a ela a impressão de que a dança forma uma pessoa, que a pessoa deseja se expressar através da dança.

Dançar é, pode-se dizer, a expressão mais antiga, estável e natural de uma pessoa. Os povos primitivos dançavam ao redor do fogo uns com os outros. Pombas rodopiam umas com as outras e assim por diante. Está tudo na dança. Não é através da fala, que foi criada mais tarde, mas da dança.

Ou seja, a dança é uma expressão interna dos impulsos e aspirações da alma. Portanto, é uma linguagem muito séria de dentro da natureza, muito profunda e a mais natural.

O balé pode expressar quaisquer aspirações, desejos e sentimentos, incluindo empatia. Não há necessidade de dizer nada. Se for uma ação real, então literalmente qualquer movimento do dedo mínimo ou virar a cabeça significa tudo!

A dança é uma ciência completa. Sabemos que existe uma ciência das expressões e movimentos faciais. Tudo isso está relacionado com a natureza do homem, com o local de residência da pessoa e assim por diante. Essa é uma conversa muito profunda que está muito longe de nós hoje. Hoje estamos bloqueados de tudo isso.

A dança é uma expressão da alma. Ela pode surpreender uma pessoa, infectar, amarrar a si mesma, arrastar ou subjugar.

Pergunta: É lindo! Você já aprendeu a dançar?

Resposta: Não. Eu simplesmente entendo. Tenho algum tipo de anseio interior de que as pessoas não a exerçam, inclusive eu.

Muito pode ser dito sobre isso porque não há camadas de todos os tipos de escolas ou períodos da história. Na verdade, é a linguagem da alma.

Pergunta: Yegor também pergunta: “Como alguém pode preservar a singularidade de cada criança que vem?”

Resposta: Para fazer isso, você precisa ser um professor muito sério e tomar apenas alguns alunos e nada mais, como os antigos sábios faziam. Eles não dirigiam escolas enormes. Havia aquelas como a do Rabi Akiva, é claro, mas geralmente havia duas ou três pessoas a quem um sábio ensinava e isso era tudo.

A dança é na verdade uma linguagem. Não estou falando sobre balé moderno. Estou falando sobre o que pode ser expresso por meio do movimento.

Pergunta: Isto é, ensinando dança, pode-se realmente criar um sábio?

Resposta: Claro! Isso não é dançar; um ensina a linguagem da comunicação com outras pessoas. Além da comunicação, não precisamos de nada, em princípio. Essa é a correção do mundo. Então, de fato, a dança, como a ciência da Cabalá ensina, é simplesmente uma coisa de alto nível.

Essa reaproximação é sensorial, sem palavras e até sem música. É uma expressão que não é superficial, embora a palavra e a música possam complementá-la. Quando é expresso corretamente, o movimento corporal é suficiente. Vemos que dançar é tudo para os animais. Um animal vê o outro e eles se entendem e interagem.

Pergunta: Qual deve ser o objetivo de um professor que ensina essa linguagem de comunicação, a dança?

Resposta: A linguagem também é muito específica. É impossível impor uma linguagem a uma pessoa porque todas as linguagens são limitadas; é violência. Faz-se com que ela se expresse exatamente dessa maneira. No movimento e na dança, se uma pessoa relaxa completamente, ela pode se expressar, e o resto a compreenderá justamente porque ela se expressa e isso é tudo.

Pergunta: Ou seja, a tarefa do professor, em geral, é que o aluno esteja na dança?

Resposta: Claro. Precisamente para se libertar de quaisquer restrições externas.

Pergunta: Como é? Isso é impossível de ensinar!

Resposta: Você ensina apenas como se libertar de suas limitações internas. Então, você já pode cantar do seu jeito e se expressar. Não há nada aqui! Os outros só precisam se anular o máximo possível, entrar em você e na sua compreensão de alguma experiência interior, e assim entenderão a sua dança.

Sem música, sem palavras, sem nada – apenas movimentos.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 25/01/21

Comente