Pessach – A Celebração Mundial Da Liberdade

229Pergunta: Celebração da Pessach. Ela conta como o povo judeu saiu da escravidão egípcia. Na verdade, para os Cabalistas, parece diferente. Temos nosso egoísmo – nossa natureza, e aqui falamos sobre como sair desse egoísmo.

Agora tenho a sensação de que este não é um feriado judaico, mas um feriado mundial, especialmente considerando os eventos que aconteceram no mundo.

O que Pessach significa para o mundo? Como você se sente com isso?

Resposta: O mundo se sente mal. Mas não sabe a razão disso. Também não conhece a cura para o fato de se sentir mal. Como uma criança, me sinto mal e isso é tudo. Não há reconhecimento do mal, ou seja, a causa do sofrimento.

A razão do sofrimento está no grande e repentino aumento do egoísmo, que às vezes congela um pouco e depois cresce repentinamente com um solavanco.

Pergunta: Então você pode dizer que o mundo agora parece estar dentro da escravidão egípcia, sob a escravidão do egoísmo?

Resposta: Depende apenas de como as pessoas se sentem. Elas apenas se sentem mal.

Pergunta: Então, a celebração de Pessach já atingiu a humanidade?

Resposta: Não acho certo chamar isso de celebração. O mundo não sente que seu egoísmo é a causa de todo o seu sofrimento.

Isso é necessário! Se começarmos a olhar de perto para a nossa natureza egoísta, para a forma como tratamos uns aos outros, podemos concluir que todo o nosso mundo é mau porque somos tão egoístas, porque desejamos o mal uns para os outros, estamos em oposição, em contradição, em conflito, um com o outro: interno, externo e assim por diante. Estamos na escravidão dessa força egoísta que nos guia, nos torce e nos empurra.

Perceber o mal de nossa natureza é a coisa mais importante. Porque depois disso, já podemos chegar a um entendimento de como nos livrar dele.

Pergunta: Se presumirmos que uma pessoa começa a sentir isso, quais são seus pensamentos? Como ela se livra disso? Exceto pelo grito interior: “Quero me livrar dele! Não quero ser egoísta!” O que mais ela precisa?

Resposta: Nada! Exija apenas que a natureza nos mude. Nada mais. Não precisamos fazer nenhum esforço extra, porque realmente não há nada que possamos fazer. Se estivermos dentro do egoísmo, qualquer uma de nossas tentativas e ações ainda será egoísta e, por isso, apenas nos enganaremos.

O que podemos fazer é nos reunir, discutir nossa condição, chegar à conclusão de que ela é simplesmente terrível, e não há como nos livrarmos dela a menos que possamos convencer nossa natureza a nos deixar em paz, que não queremos ser dominados pelo egoísmo. Tire de nós esse desejo estranho, essa força superior, de modo que ela não comande cada um de nós e não nos faça colidir um com o outro!

Pergunta: Então, a pessoa sentirá que está sob o governo do Faraó?

Resposta: Sim. Na escravidão da força maligna da natureza. Então ela começará a entender essa história corretamente. Ele começará a tratá-la corretamente, que na verdade, esta natureza maligna é criada especificamente, por uma força positiva, o Criador. Então nos voltamos a Ele pessoalmente, para que Ele remova essa natureza maligna de nós.

Se convencermos o Criador a remover de nós essa força egoísta do mal que nos empurra uns contra os outros e não nos dá paz, isso se tornará uma celebração verdadeiramente global em que todos estão interconectados, em que todos começam a se tratar corretamente, com amor, com consciência, com a compreensão de que somos um único sistema.

Pergunta: O que é chamado de “saída do povo da escravidão”? O povo – é o mundo inteiro?

Resposta: Absolutamente o mundo inteiro.

Pergunta:  Quem é o líder que os lidera? A Torá diz Moshe, Moisés – o que é?

Resposta: Isso vem da palavra “Moshech” – puxar, tirar. É uma força que tira as pessoas de seu egoísmo. Esse poder vem de cima. O poder da consciência do mal em que vivemos e o poder do bem em que podemos estar.

Pergunta: Você acha que a humanidade deveria alcançar esta força?

Resposta: Todos deveriam sentir que estão gritando, que querem isso. Nada mais é necessário. Não há necessidade de seguir pessoas, líderes, distribuidores, messias e assim por diante. Não precisa de nada.

Pergunta: O que é liberdade então? Afinal, esta é uma celebração da liberdade.

Resposta: Liberdade do egoísmo, liberdade do fato de que você está sempre sob a influência do mal, e é o seu mal interior que o empurra a ser mal aos outros. Tudo isso é uma celebração da libertação. Este é o festival da primavera.

Apenas o egoísmo é a causa do nosso sofrimento. Não há mais nada. Existem apenas duas forças no mundo: positiva e negativa.

Pergunta: Por que simplesmente não atingimos esse ponto?

Resposta: Não queremos, levantamos as mãos e os pés, apenas para evitar chegar perto dele, porque somos todos egoístas. Só no egoísmo sinto a mim mesmo e ao mundo inteiro. Não consigo imaginar como sentir o mundo fora desta qualidade.

Pergunta: Em princípio, a sabedoria da Cabalá fala apenas sobre isso: como sentir quem você é, sua natureza e como sair dela?

Resposta: Sim.

Pergunta: Como fazer com que as pessoas comecem a fazer isso?

Resposta: Se não quisermos, seremos forçados a isso. Mas vai ficar tudo bem.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 22/03/21

Comente