Dois Tipos De Análise Interna

562.01Pergunta: O Monte Sinai simboliza a propriedade de Hasadim, misericórdia. O Monte Hermon é propriedade de Hochma, sabedoria. Por que O Livro do Zohar fala sobre montanhas (montes)?

Resposta: Montanha vem da palavra “Irurim” (dúvidas).

Quando surgem dúvidas e problemas em uma pessoa, mas ela quer seguir em frente e não sabe como, uma montanha aparece à sua frente. Se ela escolher escalar a montanha, isto é, elevar-se acima de seus problemas, propriedades e dúvidas egoístas, ela obtém a fonte da luz.

O Livro do Zohar fala de duas montanhas porque existem dois tipos de análise da realidade existente: doce ou amarga, verdade e falsidade. Nós analisamos o doce ou o amargo com a ajuda da luz da misericórdia (boa ou má) e a verdade e a mentira com a ajuda da luz da sabedoria. Acontece que o homem está sempre entre essas duas análises: pode ser doce, mas uma mentira, ou pode ser amargo, mas é verdade.

Pergunta: Estamos falando de doçura e amargura na espiritualidade?

Resposta: Não importa. Precisamos desses dois tipos de sensações para permitir que o que chamamos de “humano” cresça em nós. Com base em nosso egoísmo, não somos pessoas, mas apenas animais. Talvez em alguns aspectos um pouco mais sábio do que os macacos, mas eu diria muito mais infelizes do que eles.

O fato é que o sinal animalesco de crescimento, desenvolvimento e existência é a escolha do doce em vez do amargo. E verdade ou falsidade não importa. A verdade está sempre onde está a doçura. E se for amargo, digo a mim mesmo que é mentira.

Nossa moralidade é construída somente nisso. Vemos o que está acontecendo no mundo: o que é benéfico para mim, bom e doce, essa é a verdade.

Nisso, as pessoas colidem constantemente umas com as outras porque todos desejam sua própria doçura. Além disso, cada um quer convencer o outro de que ele está certo e, de alguma forma, atraí-lo para o seu lado e vencer.

Portanto, a entrada para o mundo espiritual está no fato de a pessoa se elevar acima da análise do “agridoce” e passar a se analisar apenas em relação à verdade e às mentiras e a se apegar totalmente à verdade, alienando-se completamente das mentiras, embora a mentira pareça doce e a verdade seja amarga.

Em outras palavras, você só pode fazer uma análise correta da verdade-falsidade se também trouxer a análise agridoce. Acontece que, se dominarmos corretamente essas análises, poderemos nos construir acima da nossa natureza.

Esse é o significado das duas montanhas ou duas abordagens: Ismael – Esaú, a propriedade da misericórdia – a propriedade da sabedoria. E quando a combinação dessas duas propriedades ocorrer, o doce se tornará a verdade porque você se corrigiu para que ambas as propriedades coincidissem em você. É sobre o desenvolvimento interno de uma pessoa. Só isso.

De KabTV, “O Poder do Livro do Zohar” # 9

Comente