Dois Anjos Acompanham A Humanidade

631.1Uma vez que o homem chega ao Egito, com o tempo ele adquire lá um desejo de receber cada vez maior. No início, ele aceita esse desejo com alegria. Ele se sente bem com o fato de estar se desenvolvendo, enriquecendo e compreendendo o mundo.

É assim que todo o nosso mundo tem se desenvolvido até recentemente. Mas, de repente, descobrimos que todas as nossas conquistas não são boas para nós. Na verdade, construímos uma prisão para nós, uma verdadeira escravidão da qual não podemos escapar. O egoísmo está nos enterrando, amarrando nossas mãos e pés. Mesmo que tenhamos feito tantas coisas aparentemente boas para nós mesmos, elas de repente começam a nos dominar e nos controlar.

Primeiro, eu trabalho para adquirir coisas, depois tenho que continuar trabalhando para manter minhas aquisições, desenvolvê-las e melhorá-las. Estou trabalhando cada vez mais para pagar uma casa maior, um carro, uma escola melhor para as crianças e muitas outras coisas.

Uma pessoa vê que está na escravidão. Anteriormente, ela pensava que estava organizando a vida para seu próprio benefício. Agora ela não pode descansar e aproveitar a vida. Ela está trabalhando cada vez mais. Seu cônjuge também está trabalhando agora e eles ainda não conseguem se livrar das dívidas. Essa é a verdadeira escravidão, que não tem fim à vista.

Além disso, a pandemia do coronavírus aconteceu, e quem sabe quantos mais golpes desse tipo nos aguardam adiante. Estamos começando a perceber que construímos uma vida que não é boa. No entanto, há um aspecto positivo nisso porque é agora que a sabedoria da Cabalá pode ser revelada e as pessoas podem ouvi-la. É por isso que está sendo revelado.

Então, essas duas forças que aparecem na natureza: o Faraó de um lado e o Criador do outro, nos ajudam a avançar para o fim da correção, “… os dois anjos que acompanham a pessoa na véspera do Shabat [sábado]…”.

Da Lição Diária de Cabalá 04/04/21, “ Pessach

Comente