“Quando Se Trata De Vacinas – Não Existe União Na União Europeia” (Linkedin)

Meu novo artigo no Linkedin: “Quando Se Trata De Vacinas – Não Há União Na União Europeia

É difícil descrever o fiasco das vacinas da Covid-19 na União Europeia melhor do que James McAuley em sua coluna mais recente no The Washington Post: “Imagine estar no meio da maior crise de saúde pública em um século”, escreve ele, “e finalmente, graças à engenhosidade da ciência, você obtém as ferramentas para acabar com essa crise – mas, do nada, você decide que não as usará. Bem-vindo à União Europeia, onde os líderes políticos moram em mansões de incompetência burocrática e arrogância política enquanto uma terceira onda de casos de COVID-19 ameaça o continente e novas variantes emergem”. Mais tarde na coluna, McAuley pergunta o que será necessário “antes que a UE vacine seus cidadãos como se suas vidas estivessem em risco?”

A Covid-19 é apenas o primeiro e mais brando golpe; muitos mais estão a caminho. O primeiro golpe custou milhões de vidas. Os golpes iminentes reivindicarão muitos mais. Enquanto fizermos do egoísmo nosso rei, a vida nos punirá e o ego não nos permitirá nos recuperar. Golpe após golpe, a humanidade entrará em colapso sob a dor até que todos percebamos que nosso verdadeiro inimigo não é a natureza, que inflige golpes como a Covid, mas nossos próprios egos, que não nos permitem superá-los com facilidade e rapidez.

McAuley oferece muitos motivos que podem resultar em tal fiasco, mas acho que a verdade é pura e simples: é uma luta liderada por nada mais do que grandes egos que não se importam com nada além de seu próprio prestígio. Quando houve união na União Europeia? Nunca! Desde o seu início, não houve nada além de lutas pelo poder, exploração e abandono dos Estados-Membros necessitados. (Lembram-se da Grécia na crise financeira de 2008 ou da Itália na primeira onda da pandemia?) Quando estas vêm ao lado de declarações grandiosas de que “Construir uma sociedade justa e que funcione bem é uma prioridade política para a União Europeia”, para citar o EU Science Hub, ou uma página que a UE intitulou “Solidariedade Europeia em Ação”, para documentar (os poucos) exemplos de solidariedade na Europa para enfrentar a crise da Covid-19, não se pode deixar de sentir uma profunda desconfiança na sinceridade dos líderes da UE.

Já disse isso tantas vezes antes: uma organização que se baseia no egoísmo não pode durar e, quanto mais durar, mais as pessoas sob sua influência sofrem até que a desfaçam. Tudo o que os burocratas da UE conseguem fazer, e nisso se destacam, é tornar os ricos e poderosos no topo, ainda mais ricos e poderosos.

“Eles semearão o vento e colherão uma tempestade”, disse o Profeta Oséias (8:7). Na verdade, o espírito de alienação e exploração que permeou a UE desde o seu início matou todas as chances de solidariedade e agora está custando a vida de milhares de europeus todos os dias, enquanto todos os países desenvolvidos já estão saindo da pandemia. Quando você não nutre a solidariedade, não pode esperar tê-la em um momento de necessidade.

A Covid-19 é apenas o primeiro e mais brando golpe; muitos mais estão a caminho. O primeiro golpe custou milhões de vidas. Os golpes iminentes reivindicarão muitos mais. Enquanto fizermos do egoísmo nosso rei, a vida nos punirá e o ego não nos permitirá nos recuperar. Golpe após golpe, a humanidade entrará em colapso sob a dor até que todos nós percebamos que nosso verdadeiro inimigo não é a natureza, que inflige golpes como a Covid, mas nossos próprios egos, que não nos permitem superá-los com facilidade e rapidez.

Na verdade, se a cada golpe reforçássemos nossa unidade, alcançaríamos tal união na sociedade humana que garantiríamos uma vida boa para todas as pessoas do planeta. Já somos capazes disso, mas não temos desejo por isso, pois ninguém recebe o crédito e, sem um troféu para o ego, não há motivação para nos esforçarmos por isso. Ao mesmo tempo, existe uma forte motivação para impedir que outros ajudem a humanidade para que ninguém mais receba o crédito.

Enquanto não aprendermos a forjar uma verdadeira solidariedade, não teremos uma vida boa neste planeta. Seja uma quarta onda de Covid, um clima extremo de intensidade sem precedentes ou algum outro estratagema que a natureza possa usar, seremos forçados a um desconforto e dor cada vez maiores até que nos rendamos e destronemos nossos egos.

Comente