Não Enfeitice, Nem Profetize

527.01O Livro do Zohar, “Chayei Sarah” (A Vida de Sarah), Item 87: Quando alguém observa o canto das aves para saber o futuro, por que isso é chamado de “uma serpente” e “bruxaria”?

Bruxaria significa que eu quero ascender ao nível mais alto, aos chamados “pássaros”, não por meio de minha correção, mas com meu egoísmo existente.

Inventar algum tipo de sistema que me elevaria sem me transformar em um altruísta a partir da propriedade de recepção para a propriedade de doação, isso é chamado de feitiçaria, adivinhação, bruxaria.

Quando eu vou a um feiticeiro? Quando quero ganhar o que não devo. Se eu devesse, teria andado em linha reta, assim como a lei verdadeira e direta anda.

Se vou a xamãs, feiticeiros ou adivinhos, isso significa que quero agir de alguma forma impura, errada, talvez desconhecida. Mas “desconhecido” também significa errado porque eu tenho que ir apenas por minha própria escolha.

Portanto, na Torá, é proibido enfeitiçar e profetizar. Assim se diz: “Não enfeitice e não adivinhe, e queime todo feiticeiro”. Uma pessoa não tem o direito de tentar ascender os níveis espirituais com a ajuda de forças indefinidas e imerecidas. Afinal, isso contradiz a elevação espiritual, que só é possível se você adquirir a propriedade correspondente.

Comentário: Parece algum tipo de amadorismo.

Minha Resposta: Mas as pessoas acreditam nisso. Elas estão nesses níveis em que uma pessoa está confusa, como uma criança pequena. As crianças acreditam em contos de fadas. E os adultos, enquanto permanecem crianças, acreditam em contos de fadas.

A ciência da Cabalá nos ensina exatamente o contrário: não há milagre no mundo; não enfeitice e nem profetize, mas não porque você não pode. Você não pode porque isso não existe, e você está se enganando com ele. Você deve descobrir todos os atributos do mundo, todas as suas leis, e usá-los corretamente.

De KabTV, “O Poder do Livro do Zohar” # 4

Comente