A Única Maneira De Fazer A Transição Para O Amor

939.01Baal HaSulam, “A Liberdade”: A Torá e as Mitzvot foram dadas apenas para purificar Israel, para desenvolver em nós o senso de reconhecimento do mal impresso em nós no nascimento, que é geralmente definido como nosso amor-próprio, e para chegar ao puro bem definido como o “amor aos outros”, que é a única passagem para o amor do Criador.

As pessoas nunca se uniriam, mas porque anseiam pelo Criador e desejam revelá-Lo, esse anseio as conecta. Nada mais pode unir verdadeiramente, nem uma mãe com seus filhos, nem um marido com sua esposa, família, parentes, nações ou humanidade. Portanto, precisamos ansiar e nos voltar a nossa raiz espiritual na qual estamos em fusão absoluta, como, por exemplo, gases ou líquidos mistos dos quais nada resta senão uma mistura homogênea. Para isso a Cabalá foi dada: para nos misturar e nos unir.

Quando tentamos nos unir, começamos a entender até que ponto somos incapazes de conseguir isso, e o Criador é percebido precisamente na medida em que estamos conectados. O que fazer para que isso funcione? Não podemos fazer nada! E esse “não podemos” é a nossa natureza e é o mal absoluto que nos faz sentir repulsa, assim como dois polos idênticos de um ímã se rejeitam.

O reconhecimento do mal mostra quem somos desde o nascimento e até que ponto não podemos nos conectar para nos tornarmos um todo. Essa rejeição mútua é definida como nosso ego, nosso amor-próprio.

Quando começamos a sentir a força real do ego, a rejeição, o ódio, o fracasso, a falta de despertar um para o outro, podemos começar a imaginar a forma oposta, que é o amor pelos outros.

Nosso grande professor, o Baal HaSulam, diz que essa é a única transição para o amor do Criador. Devemos, portanto, alcançar um estado em que não tenhamos forças para nos unir, nós o afastamos com todas as nossas forças e não o queremos de forma alguma.

É difícil imaginar como uma pessoa pode suportar um sentimento de amor, a dissolução total nos outros, quando não há mais nada de você. Na verdade, é a sensação de que você não pode se dissolver totalmente nos outros que lhe traz o reconhecimento do que o amor e a conexão realmente são.

Em outras palavras, não podemos sustentar a conexão do amor se não a alcançarmos como resultado da rejeição. Essa é a única maneira de fazer a transição do ódio e da incapacidade de união para o amor.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 29/12/19

Comente