Você Deve Saber Como Amar

294.3“Amar não é olhar um para o outro, mas olhar juntos na mesma direção”. (Antoine de Saint-Exupéry)

Isso está certo. A mesma direção significa que devo encontrar em mim e na outra pessoa um estado resultante de nossas relações mútuas. É algo além de nós dois.

Pergunta: Então agora você está falando sobre o propósito da vida, que avançamos em direção a uma meta, amamos a mesma meta e nos movemos em direção a ela?

Resposta: Significa que nos amamos precisamente porque visamos o mesmo objetivo.

Comentário: E se não compartilharmos o mesmo objetivo?

Resposta: Então não é amor.

Pergunta: Isso é interessante. Então, eu não posso simplesmente amar você e viver dessa maneira?

Resposta: Não! Deve haver um terceiro componente; não é supérfluo.

Deve haver algo fora de ambas as pessoas que as conecta, as une. É o desejo de união nesta terceira parte que resulta na qualidade de amor.

Pergunta: Que tipo de objetivo torna esse amor forte?

Resposta: Quando eles percebem que devem um ao outro alcançar essa meta eterna.

Pergunta: A meta pode ser construir uma casa, cultivar uma árvore ou criar uma família?

Resposta: Não. Nunca! Estamos falando de uma ideia, de um ideal.

Pergunta: Mas o que é? O que poderia ser? Podemos falar especificamente sobre isso?

Resposta: Apenas a realização do propósito da natureza. A natureza nos criou e devemos entender a meta a qual ela quer nos levar.

Pergunta: A qual meta ela quer nos levar?

Resposta: À unidade. Para que junto conosco ela consiga atingir o sentido absoluto nesta união! Ou seja, ela se tornaria um todo comum – nós, toda a humanidade e a natureza. Nós, como elemento receptor da natureza, e a própria natureza como elemento de preenchimento.

É assim que deve ser.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 10/12/20

Comente