“Um Novo Dia, Um Novo Partido” (Times Of Israel)

Michael Laitman, no The Times Of Israel: “Um Novo Dia, Um Novo Partido

(Ainda) Outra eleição geral está chegando em Israel em menos de três meses. Como vimos nas últimas eleições gerais, todas ocorridas nos últimos dois anos, uma nova campanha traz consigo novos partidos. E, como vimos, esses partidos acabam sendo iniciativas pontuais, que muitas vezes se desfazem logo após a eleição ou, talvez, durem apenas até a próxima eleição.

Os judeus sempre foram pessoas obstinadas; é a nossa natureza. No entanto, quando o único propósito de estabelecer novos partidos é eliminar politicamente outros partidos ou outras pessoas e, em vez disso, assumir o controle, nada de bom pode resultar de tais manobras políticas. Se há algum propósito nelas, é descobrir que esta estrada não tem saída; não significará nada. A única questão é quando vamos descobrir isso.

Você não pode alcançar nada dividindo a sociedade. Você também não pode estabelecer um partido sólido e estável quando você tem dezenas de outros partidos cujo único propósito é arruinar um ao outro. Estamos apenas fragmentando nossa sociedade a ponto de sermos obrigados a concordar que não podemos construir nada dessa maneira.

Ao mesmo tempo, também não podemos concordar em nada, embora saibamos como a divisão é destrutiva para nossa sociedade. O que nós fazemos? Percebemos que não podemos conciliar nossas diferenças, mas devemos encontrar uma maneira de coexistir apesar da fragmentação. Quando reconhecermos isso, perceberemos por que estamos tão divididos – uma vez que é a única maneira de construirmos uma unidade.

Devemos entender que sem divisão não há unidade. Se não temos divergências, podemos viver pacificamente um ao lado do outro, mas não uns com os outros. Podemos viver lado a lado, mas não em qualquer forma de unidade, mas como vizinhos que se ignoram, alheios à existência um do outro. Se fosse esse o caso, seríamos como diferentes espécies de animais compartilhando o mesmo habitat, mas separados uns dos outros.

Humanos não são animais. Se fôssemos, não evoluiríamos da maneira que evoluímos; não teríamos desenvolvido a civilização e não teríamos desenvolvido a interdependência global. Os humanos devem se misturar porque apenas a mistura, a conexão e a discordância nos forçam a encontrar um vínculo mais forte do que a coabitação de espécies animais separadas.

O processo de unificação forçada é muito significativo. É a única maneira pela qual podemos sentir conscientemente o que os animais sentem instintivamente: que estamos todos conectados. Em vez de sentir essa conexão e segui-la instintivamente e, portanto, inconscientemente, nós, humanos, devemos trabalhar duro em nossa conexão, esforçar-nos por ela e superar o ódio e os conflitos. No processo, nos tornamos cientes de todas as complexidades em nossa conexão, valorizamos e compreendemos em níveis o que nenhum animal pode. Essa é a vantagem do homem sobre o animal: a compreensão profunda da composição da vida. Mas isso acontece apenas se 1) revelarmos a separação que existe entre nós e 2) nos esforçarmos para superá-la.

O povo judeu, ou mais corretamente, os antigos israelitas, foram os primeiros a alcançar essa unidade, ao pé do Monte Sinai, quando nos conectamos “como um homem com um coração”. Só depois de fazermos isso, nos tornamos uma nação. Imediatamente depois, fomos instruídos a refletir essa unidade para o resto do mundo, ou como a Torá expressou, ser “uma luz para as nações”.

Portanto, não é de se admirar que descobrimos que a sociedade israelense é mais dividida do que qualquer outra sociedade. Os conflitos se manifestam em nós mais do que em qualquer outro lugar, precisamente, por isso vamos dar o exemplo de como superá-los. Jamais poderemos eliminá-los, pois então não teremos necessidade de nos unir. Tudo o que seremos capazes de fazer é perceber que nosso objetivo comum é ser uma luz de unidade para as nações e por causa disso – e por nenhum outro motivo – nos unirmos.

Eu não tenho um cronograma para a conclusão deste processo; não sei quanto tempo vai demorar, ou quanta dor o povo de Israel no Estado de Israel terá que suportar antes que percebamos o que temos que fazer. De qualquer forma, a unidade será o resultado final e também a solução para nossos problemas. Eu espero que cheguemos a isso mais cedo ou mais tarde.

Feliz Ano Novo a todos.

Comente