“Ser Um Judeu ‘Objetivo’ Na Administração De Biden” (Linkedin)

Meu novo artigo no Linkedin: “Ser Um Judeu ‘Objetivo’ Na Administração Biden

Embora muitos meios de comunicação judaicos elogiem a proliferação de judeus no governo Biden, não vejo isso como algo de que se orgulhar. Para os judeus americanos, não há razão para otimismo e, da perspectiva de Israel, essa não é uma boa notícia.

Os judeus americanos trabalharam muito para chegar aonde estão. Atualmente, ocupam posições-chave não apenas na nova administração. Eles vêm ocupando cargos importantes nos governos democrata e republicano há muitos anos, embora não tão visivelmente como neste. Os judeus americanos ocupam posições-chave não apenas na política, mas também nos negócios, alta tecnologia, mídia tradicional e mídia social, incluindo, é claro, as grandes empresas de tecnologia atualmente sob o fogo dos republicanos por seu tratamento supostamente tendencioso a Donald Trump e seus apoiadores. Os judeus americanos são proeminentes na cultura, entretenimento, ciência, academia, finanças e no sistema judiciário. Na verdade, eles estão no auge.

E como sempre com os judeus, depois do zênite vem o nadir. O antissemitismo tem aumentado em todo o mundo, pelo menos desde a virada do século, e os EUA não estão atrás do resto das nações. O apogeu dos judeus foi as décadas de 80 e 90 do século anterior, mas esses dias acabaram e não voltarão. Daqui para frente, será um longo e doloroso deslizamento para baixo.

Quanto ao Estado de Israel, a presença de tantos judeus nada promete. Em todo o caso, isso pressagia problemas. Quando um judeu está no comando, geralmente significa problemas para Israel. Mesmo se um judeu pró-Israel, ele hesitará em mostrar isso por medo de ser acusado de dupla lealdade. Pior ainda, judeus em posições políticas-chave tendem a promover políticas e decisões anti-Israel a fim de provar sua “objetividade” em relação a Israel.

Além disso, é uma triste verdade que a maioria dos judeus americanos seja hostil ao Estado de Israel. Com o passar dos anos, o abismo entre os judeus americanos, o Estado de Israel e os israelenses se aprofundou em muitos níveis. Israelenses e judeus americanos discordam em questões fundamentais como política do Oriente Médio, religião e até mesmo sobre a definição de judeidade e judaísmo. Por esse motivo, colocar um judeu em uma posição política importante é provavelmente uma má notícia para Israel. Quando há mais de uma dúzia de judeus em tais cargos, como é o caso da próxima administração, as más notícias são doze vezes mais.

Comente