Os Poços De Isaac

laitman_741.02Há um fenômeno que, depois de muitos anos estudando a sabedoria da Cabalá, uma pessoa repentinamente descobre que perdeu todo o desejo pela espiritualidade, toda motivação, todo o desejo que tinha antes, e não sabe de onde obter forças. Ela nem mesmo tem força para pedir ao Criador que lhe dê força para ansiar pela espiritualidade.

Além disso, ela deve cuidar de ter o poder de superar seu desejo de receber prazer e usá-lo para doar. Portanto, o trabalho prossegue em duas etapas que se alternam.

Às vezes, eu luto contra meu desejo de receber prazer a fim de superá-lo e realizar ações de doação. E às vezes eu luto pelo próprio desejo da espiritualidade porque ele desaparece, fico como se estivesse morto em relação ao espiritual, e não quero pedir nem receber ajuda.

Temos que trabalhar nesses dois estados, e isso é chamado de cavar os poços de Isaac. Dentro do desejo de receber prazer, que é chamado de terra, poços devem ser cavados, símbolos do sentimento de carência, o desejo de alcançar a espiritualidade após o qual esses poços serão preenchidos com água, as águas da Torá, a luz de Hassadim.

Eu estou cavando um poço porque quero adquirir o desejo por espiritualidade, o desejo de alcançar o Criador e me fundir com Ele, a necessidade de doar. Há uma terra simples diante de mim e quero transformá-la em um campo espiritual. Portanto, eu realizo ações dentro do desejo egoísta, eu quero desenterrá-lo e abrir os vazios nele a fim de alcançar o céu, o mundo espiritual, a partir desta terra. Este é o trabalho de Isaac.

Eu cavo meu desejo de receber prazer a fim de entender como usá-lo para ações de doação, para amor de amigos, e através deles amor pelo Criador. Eu quero extrair desse desejo o desejo de doação, amor, unidade. Não temos nenhum outro material além deste, e ele deve ser corrigido.

Primeiro, eu cavo um buraco em meu desejo de desfrutar, o desejo de trabalhar com meu desejo em prol da doação. Então esse buraco se enche de água e vira um poço, o que me permite trabalhar bem com a terra, com um desejo comum.

Se quisermos construir uma casa, primeiro precisamos cavar um buraco para a fundação. E a mesma coisa acontece na espiritualidade; você precisa cavar no solo, ou seja, no coração, e limpar todo o pó de lá. Significa extrair todas as intenções egoístas de seus desejos. Então você pode começar a construir neste lugar, ou seja, adicionar intenção ao desejo em prol da doação e erguer um edifício. Quando o coração permanece vazio sem qualquer enchimento, chega a hora de construir.

O homem deve, de seu desejo para si mesmo, extrair a intenção. O Criador deliberadamente colocou intenções egoístas em nosso desejo, como se estivesse empurrando pilhas de construção. E nós precisamos retirá-las e preencher os buracos restantes com água para fazer um poço. Nós obteremos uma terra fértil e poderemos construir nela.

O desejo continua sendo o desejo de receber prazer, e nosso trabalho é substituir a intenção egoísta pela doação. Se houver uma intenção em prol da doação, já se pode usar o desejo e construir edifícios a partir dele, as etapas de doação, nossas formas semelhantes ao Criador.

É possível separar a intenção egoísta do desejo apenas por meio do grupo, unindo-se aos amigos. Sozinho, é impossível mudar a intenção ou mesmo chegar perto dela.

Nós nos unimos e cavamos nosso desejo comum juntos, como construir uma casa sobre palafitas juntos, os poços são cavados, preenchidos com concreto, e uma casa é erguida nessas colunas.

Nós descobrimos que todas as nossas intenções são egoístas, para o nosso próprio bem. Então queremos desenterrá-las do solo, de nossos desejos, e colocar intenções em seu lugar em prol da doação.

Existem muitas histórias na Torá relacionadas a poços. Ela conta como Abraão abriu poços no deserto perto de Beer Sheva, depois sobre os poços de Isaac. O encontro com a futura noiva também acontece no poço. O herói afasta os vilões do poço, remove uma pedra pesada dele e dá água a todos.

Isso simboliza uma pessoa que, devido às intenções adquiridas em prol da doação, pode mover uma pedra (coração de pedra) que entope o poço e, então, todos podem desfrutar da água do poço.

Portanto, a Torá fala sobre trabalhar em uma linha e em três linhas, sobre diferentes níveis espirituais, mas isso sempre acontece por meio de um poço cheio de água.

Um poço cheio de água, ou seja, com a luz de Hassadim, vira um poço com água viva. A luz de Hassadim pode dar força à terra e produzir safras.

Cavar um poço significa receber a intenção em prol de doar dentro de um desejo corrompido, que é simplesmente chamado de terra. Nós precisamos encontrar um lugar onde o poço deveria estar. Sinta a falta e comece a cavar o solo até que essa ranhura no solo comece a se encher de água, as propriedades de Bina, isto é, com nossas aspirações de trabalhar não para nós mesmos, mas para doar.

Quando a intenção de dar preenche todo o vazio dentro do desejo de desfrutar, nós podemos usar essa água para irrigar a terra e reavivar as plantações, para dar água aos animais – burros, camelos ou pessoas – e gradualmente fazer as correções. Cavar poços é o início do trabalho espiritual.

Da Lição Diária de Cabalá, 21/11/20, Porção Semanal “Toldot

Comente