Um Verdadeiro Homem Do Nosso Tempo

294.2Pergunta: Quem é um homem verdadeiro? Alguns psicólogos afirmam que um homem verdadeiro é aquele que se realizou, que tem uma causa com “C” maiúsculo, uma família, uma mulher, é responsável por alguém. Existem dez indicações de um homem verdadeiro para apontar. Primeiro: ele confia apenas em si mesmo.

Resposta: Este é um homem infeliz. Como ele pode contar consigo mesmo? Só se ele caminhar pela pradaria com seu gado e pronto. Hoje, como ele pode confiar em si mesmo? Quem é ele para confiar apenas em si mesmo? Ele deve contar com um grande número de pessoas que podem ajudá-lo, apoiá-lo e assim por diante. Este é um homem de verdade – aquele rodeado por muitos amigos.

Observação: A próxima indicação: ele é autossuficiente.

Meu Comentário: O que significa que ele é autossuficiente? “Não preciso de nada. O que tenho é o que preciso. Eu sou inteligente o suficiente, bem-sucedido e confiante o suficiente”. Bem, e daí? Você só pode dizer isso a uma criança que se sentirá inspirada com isso.

Observação: Às vezes, você realmente quer ter confiança em si mesmo.

Meu Comentário: Você não deveria. É aqui que termina todo o crescimento.

Observação: A próxima indicação: ele é independente.

Meu Comentário: Isso também não pode ser. Como alguém pode não depender de nada? Ele depende da natureza, das pessoas ao seu redor; depende de todos! Em nossa época, a independência não existe para alguém, para a sociedade, para um estado, ou em geral para todo o planeta.

Pergunta: Ele depende de todos e de tudo ao seu redor?

Resposta: Claro. Quanto mais ele cresce, mais dependente se torna de todos.

Observação: Ele não pede ajuda.

Meu Comentário: E daí? Ele confia em si mesmo?

Observação: De tudo o que foi dito acima, ele confia em si mesmo e não pede ajuda. Ele é assim: “Não vou pedir ajuda. Vou fazer isso sozinho”.

Meu Comentário: Ele é burro. Ele nem mesmo entende com seu cérebro que realmente depende de tudo e de todos.

Pergunta: Você acha que um homem verdadeiro é aquele que pode pedir ajuda, que pode ter tal fraqueza?

Resposta: Que entende que ele é fraco.

Pergunta: Isso muda tudo radicalmente. Ele percebe que está fraco e pede ajuda?

Resposta: Sim.

Observação: Outra indicação: ele não se compromete.

Meu Comentário: Então ele será morto ou será um assassino. É impossível não se comprometer. É por meio de compromissos que chegamos às conclusões certas. As decisões certas estão em algum lugar no meio.

Não podemos viver sem compromissos! Ninguém pode! Especialmente empresários, políticos, etc. Uma pessoa deve entender que a natureza consiste em mais e menos. Tudo vive no compromisso.

Observação: A próxima indicação: ele não compara. Por exemplo, ele não se compara aos outros.

Meu Comentário: Mas como ele vai crescer se não invejar, se não comparar? Tenho que comparar e ter inveja, tenho que ver que isso não é a meu favor e isso vai me impulsionar para o crescimento.

Pergunta: Você pretende invejar não para rebaixar outra pessoa, mas para elevar-se acima dela?

Resposta: Depende dos pontos anteriores.

Pergunta: Sim. As comparações são necessárias?

Resposta: Sim.

Comentário: A próxima: ele se aceita como é.

Meu Comentário: Só uma mãe pode aceitar um bebê como ele é. Ninguém vai me aceitar como sou. Serei humilhado, empurrado para longe o tempo todo e assim por diante. Eu também devo me ver como sou, o que devo ser, e tentar crescer assim o tempo todo.

Pergunta: Não é que não me aceito como sou, mas devo crescer o tempo todo. Então, se eu sou quem sou, eu paro?

Resposta: Claro. Tudo se desenvolve dialeticamente.

Comentário: Próximo ponto: ele evitou a crise da meia-idade ou sobreviveu a ela com o mínimo de perdas.

Meu Comentário: Não sei o que a idade da meia-idade tem a ver com isso. Eu não a sinto e nunca a senti.

Comentário: É porque você encontrou o propósito da vida quando tinha trinta e três anos.

Meu Comentário: Na minha opinião, continua comigo. O que significa uma crise de meia-idade? O que deve ser nesta crise? Que eu penso no que passou e o que mais será, onde estou e o que devo fazer da minha vida?

Comentário: Eu acho que a busca pelo sentido da vida também cabe aqui. Dizem: “sobreviveu com a menor perda”.

Meu Comentário: Concorde com o que se tem e continue navegando.

Observação: Parece que sim.

Meu Comentário: Não, não sou eu.

Pergunta: Essa crise precisa existir o tempo todo?

Resposta: Sim. Uma crise de meia-idade, se assim a chamamos, é um relato necessário do que foi feito e do que ainda não foi feito, e de que ainda há muito trabalho pela frente. Eu tenho que acreditar que, quando fizer tudo isso, chegarei à meia-idade.

Pergunta: O fato de eu, por exemplo, ter encontrado um lugar na vida e me acalmado é horrível, na sua opinião?

Resposta: Isso é a morte.

Em geral, não obedecemos a esses dez mandamentos.

Observação: Sim, falhamos. Não concordamos, temos tudo ao contrário: dependência total, insegurança constante, um caminho sem fim; você nunca para, você nunca descansa.

Meu Comentário: Abra seus olhos e veja. Sem truques literários. Você verá que tudo é oposto ao que está escrito.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 21/09/20

Comente