Quando Chega O Período Mais Feliz Da Sua Vida

66.03Pergunta: Alguns cientistas determinaram a idade mais infeliz na vida das pessoas. Pessoas de diferentes idades foram pesquisadas em 132 países e descobriu-se que o período mais feliz é de 18 a 20 anos.

Então a situação começa a piorar. E o pior é de 47 a 48 anos. Este é um período infeliz nas sensações de uma pessoa. Essa condição dura até 60 anos e depois melhora gradualmente. E aos 70, você é como uma criança de novo, então se sente bem.

Você pode explicar esses estados?

Resposta: Não. Acredito que tudo depende das pessoas. Se uma pessoa se comporta normalmente, trabalha muito, tem uma família, um emprego, uma meta na vida, eu não acho que esses anos sejam críticos para ela.

18-20 anos, isso é claro: há uma espécie de descoberta do mundo. Então tudo depende da pessoa.

Observação: aqui tudo está logicamente claro. Aos 45 anos, todas as suas esperanças estão cada vez mais enterradas. Então você decide: “Bem, o que fazer?!”

Meu Comentário: Depende de quais são as esperanças e como enterrá-las. Não sei o que você esperava, o que queria alcançar ou por que ficou desapontado.

Pergunta: Se você não divide a vida de uma pessoa comum em períodos infelizes e felizes, como ela deve viver, em sua opinião?

Resposta: Cada dia é como uma vida inteira. Comece do zero e termine com zero. Dê tudo de si durante o dia! Vou acordar amanhã e ter uma nova vida.

Pergunta: Como posso acordar de forma que eu me levante e fique totalmente acordado até o anoitecer?

Resposta: Meus alunos me obrigam. Sinto medo diante deles. Medo. Eu preciso, eu tenho que fazer algo. Eu não posso deixá-los assim. Eu tenho que empurrá-los, inspirá-los. Eu tenho que ligá-los o tempo todo. Isso é o que realmente me preocupa.

Pergunta: E seu pensamento, o que é para eles?

Resposta: Para eles, é claro. Não comigo. Tento não fazer cálculos comigo mesmo.

Pergunta: Em outras palavras, a tarefa é entregar-se totalmente?

Resposta: A tarefa começa antes mesmo de começar a lição matinal, quando acordo, antes mesmo de começar a me preparar para o dia, me considero morto. Sim, morto. E não preciso de nada da vida, exceto que tenho que dar tudo agora.

Pergunta: Então, morto significa que eu não existo? Não há autocuidado, então eu saio para o mundo?

Resposta: Isso é absolutamente correto!

Pergunta: É assim que começo o dia e como devo gastá-lo?

Resposta: Claro. Então você tem um cálculo muito correto consigo mesmo, com a vida, com os alunos. Pois bem, o que acontece, isso já está nas mãos do Criador.

Pergunta: Se você pegar isso e transportá-lo para uma pessoa comum, ela pode ter essa atitude em relação à família e filhos?

Resposta: Absolutamente a mesma. Ela se deixa, se entrega. Mas para o mundo.

Pergunta: Ou seja, para a família, vizinhos, pessoas distantes?

Resposta: Sim. É assim que você vive, se entrega. Você não tem ideia de como isso é bom, fácil, gratuito e, o mais importante, certo.

Pergunta: Este é o seu principal conselho?

Resposta: Sim.

Pergunta: Então não haverá períodos de felicidade, infelicidade?

Resposta: Nada!

Observação: Eu não existo.

Meu Comentário: Sim. Mas você estará constantemente em tensão se se entregar a eles.

Pergunta: Esta é uma boa tensão? Tem um elemento de felicidade?

Resposta: Isso é felicidade.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 07/09/20

Comente