No Início Da Criação: Linha E Círculo

548.03Primeiro, a luz cria o desejo de receber por meio dos quatro estágios de luz direta e o preenche. Mas o quarto e último estágio do desejo faz uma restrição, e a luz sai de todas as esferas desse desejo, de todos os seus estágios. Então o quarto estágio começa a atrair luz por um método especial chamado “linha”.

A diferença entre uma esfera redonda e uma linha é que não havia restrições na esfera e a luz poderia preencher todo o desejo criado pelo Criador. E na linha, o próprio desejo determina de que forma a luz virá e o preencherá.

O círculo é o preenchimento do desejo sem quaisquer restrições, e a linha é a condição para que a luz venha apenas de acordo com o desejo e o desejo restrinja a luz, deixando apenas uma linha tênue da esfera.

A partir disso, podemos ver que nos quatro estágios da luz direta ainda não há criação, e tudo existe como criado pelo Criador. Mas então o desejo de desfrutar começa a se manifestar e limita a luz superior, determinando como a luz pode preenchê-lo e se conectar com ele.

No início, todas as esferas – zero, primeira, segunda, terceira e quarta – estavam completamente cheias de luz. Mas depois o quarto estágio sentiu-se receptivo e oposto à luz. Assim, ele restringiu seu desejo e a luz se foi. Mas, uma vez que nada é feito no espiritual pela metade, a luz partiu de todas as esferas.

Agora o próprio quarto estágio decide de que forma a luz virá e o preencherá, e decide não apenas para si mesmo, mas também para todas as outras esferas. E acontece que todo esse espaço vazio, todas as esferas são cortadas apenas por um fino raio (linha), um setor de luz.

É como um tubo pelo qual a luz flui, passando do mundo de Ein Sof para o centro de todas as esferas, dentro de todo o espaço, onde opera a restrição.

A linha é uma extensão da equivalência do desejo de receber da criação ao desejo de doar do Criador. A linha mostra o quanto a criação é capaz de se parecer com o Criador; quanto mais semelhante ao Criador pode ser a criação, mais espessa a linha, e quanto menos semelhante, mais fina a linha. E isso determina quanta luz pode fluir por este tubo. A linha é uma medida do desejo de uma criatura de se tornar como o Criador.

Da 2ª parte da Lição Diária de Cabalá 09/11/20,  Baal HaSulam, O Estudo das Dez Sefirot

Comente