“É Um Empate! Discutam! ” (Times Of Israel)

O Times of Israel publicou meu novo artigo: “É Um Empate! Discutam!

Quer Trump ou Biden acabem na Casa Branca, nenhum será o presidente dos Estados Unidos. Ele será o presidente apenas dos americanos que o elegeram. Um presidente cem por cento aceito por metade do país e cem por cento rejeitado pela outra metade não pode ser considerado POTUS (President of the United States). Isso deixa o povo americano com duas opções: discutir ou lutar. Espero que eles escolham o primeiro.

A América é um país altamente desenvolvido, especialmente quando se trata de política. Como acontece com qualquer nação desenvolvida, seu povo é muito opinativo. E quanto mais teimosos eles se tornam, mais difícil é para eles se afastarem de suas opiniões. Eles se tornam menos tolerantes e mais arrogantes, menos atentos e mais assertivos, até que, finalmente, todo o país explode em tumultos, violência e segue-se uma guerra civil.

Este é o caminho natural, e os países devem observar cuidadosamente o que está acontecendo na América, porque também acontecerá com eles. É a evolução natural da natureza humana.

Apesar do prognóstico sombrio, os humanos têm mais do que a natureza humana a seu favor; eles têm intelecto. Quando uma situação se tornar um impasse evidente, procure um desvio. Não há razão para que as coisas terminem em violência se já vemos que é para lá que vamos; podemos redirecionar.

Há muita verdade no famoso ditado de Albert Einstein: “Os problemas com os quais estamos lidando não podem ser resolvidos no mesmo nível de pensamento com que os criamos”. Mas há mais do que isso; nós, essa é a nossa natureza, os criamos de modo a subir a um nível superior.

Pense nisto: se tudo estivesse bem enquanto morávamos em cavernas, teríamos saído delas? Se tudo o que fizéssemos desse certo, algum dia desenvolveríamos novas táticas ou ferramentas para melhorar nossas vidas e torná-las mais fáceis? A vida continua apresentando problemas agora como sempre fez, e sempre com o mesmo propósito: para nos levar adiante, nos forçar a evoluir. E hoje, a evolução centra-se principalmente na sociedade.

Na verdade, nossa sociedade é manca. As relações humanas em todos os lugares são atormentadas por suspeitas, animosidade, alienação e ódio. Gostamos de nos sentir assim um com o outro? Se gostássemos, não veríamos os índices de depressão, abuso de substâncias, violência, homicídio e suicídio que estamos vendo. Nós nos tornamos uma sociedade de pessoas tristes, deprimidas, assustadas e principalmente sem esperança, e tudo isso porque há um demônio dentro de nós que nos faz odiar uns aos outros.

Mas não é um demônio; é a natureza humana, o mesmo motor que nos desenvolveu ao longo dos tempos. Anteriormente, isso nos fazia sentir desconfortáveis ​​fisicamente para que pudéssemos desenvolver maneiras mais fáceis de viver. Agora, isso nos deixa emocionalmente desconfortáveis, então desenvolveremos maneiras mais fáceis de viver uns com os outros.

É por isso que a esquerda e a direita nunca vão concordar. Os republicanos sempre pensarão que os democratas estão completamente errados e os democratas pensarão o mesmo dos republicanos. Mas sem a tensão, não haverá ímpeto para o crescimento, nenhuma compreensão de que devemos de alguma forma estabelecer a unidade ou iremos matar uns aos outros.

Há uma coisa engraçada sobre conflitos insolúveis. Quando você finalmente consegue se reconciliar, muitas vezes se sente mais perto do que antes do conflito estourar. Além disso, muitas vezes você percebe que o problema não existe mais, embora nunca o tenha tocado, mas apenas se concentrou em se conectar com a outra parte. Se alguma vez aconteceu com você que você brigou com seu parceiro e depois que fez as pazes, você não conseguia se lembrar do que brigou, então você sabe o que quero dizer.

Mas não é apenas no nível pessoal. A mesma ideia é verdadeira para conflitos sociais, nacionais e internacionais. Quando você trabalha na unidade, os problemas não são resolvidos, eles desaparecem, pois estavam lá apenas como catalisadores para a conexão.

A América tem sido a líder do mundo livre praticamente desde o fim da Segunda Guerra Mundial. Agora ela está em uma crise que pode elevar ou afundá-la. Se os americanos quiserem, eles podem ser os pioneiros que sempre foram e levar o mundo inteiro a uma nova era, onde os problemas são promotores de conexão e os conflitos são oportunidades para uma concórdia profunda. Tem sido um empate político na América desde 2016; é hora de discutir e subir juntos para um novo nível de solidariedade e coesão, e abrir o caminho para longe do atrito e em direção à paz real e duradoura.

Comente