“O Que É ‘Fadiga Pandêmica’?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora: O Que É ‘Fadiga Pandêmica’?

A fadiga pandêmica ocorre quando as pessoas ficam exaustas com as restrições da pandemia por um período de tempo prolongado e tornam-se menos inclinadas a aderir às diretrizes de saúde pública.

Pessoas com fadiga pandêmica desviam sua atenção dos regulamentos do departamento de saúde e, embora diferentes pessoas sintam e reajam a isso de maneiras diferentes, os sintomas geralmente incluem inquietação, irritabilidade, baixa motivação e dificuldade de concentração. Também pode incluir recuar socialmente ou mudar os padrões de alimentação e/ou sono.

Além disso, as pessoas que sofrem de fadiga pandêmica podem reagir opondo-se abertamente aos seus regulamentos: comparecer a festas, protestos, cafés, restaurantes, bares e, em geral, rejeitar o distanciamento social, o uso de máscaras e o nível recomendado de higiene pessoal.

No entanto, apesar dos vários tipos de fadiga pandêmica que muitas pessoas experimentam à medida que avançamos com dificuldade nesses tempos de teste, o coronavírus em si permanece inalterado. À medida que o descuido aumenta, também aumenta a quantidade de pessoas com teste positivo para o vírus. E nós vemos que sempre que os governos afrouxam as restrições à saúde pública, as infecções também aumentam.

O paradoxo estressante que muitos enfrentam hoje, onde por um lado, eles não veem nenhuma luz no fim do túnel da pandemia quanto mais avançam nele e, por outro lado, eles ardem em desespero, levará mais e mais pessoas a irromper em resistência aos regulamentos.

A fadiga pandêmica deve servir para acelerar nossa demanda por novos remédios para o coronavírus. Em vez de girar o polegar à espera de vacinas, podemos tentar implementar um remédio que seja livre de riscos e que não nos custe nada. Antes de discutir esse remédio, eu farei uma importante isenção de responsabilidade de que isso de forma alguma sugere que não prestemos atenção às diretrizes de saúde pública, mas, pelo contrário, embora sigamos rigorosamente os regulamentos de saúde pública, podemos tentar implementar o seguinte remédio para o coronavírus: ajustar nossa atitude um para com o outro para pensarmos positivamente, com consideração e responsabilidade uns com os outros.

Se pudéssemos examinar mais a fundo o que causou essa pandemia, veríamos que as atitudes negativas entre nós criam o maior desequilíbrio da natureza, o que nos convida a uma resposta negativa da natureza. Da mesma forma, se mudássemos nossas atitudes uns com os outros de negativas para positivas, descuidadas e exploradoras para atenciosas e responsáveis, então entraremos em equilíbrio com a natureza – e a natureza responderia positivamente a nós em troca.

Portanto, embora mantenhamos nossa distância física uns dos outros por enquanto, seria sábio buscar como podemos ficar mais próximos em nossa distância mental e emocional. Uma forma prática de fazer isso é nos relacionarmos com a observância dos regulamentos da secretaria de saúde não para a proteção individual de cada um, mas ao contrário, que observemos as regulamentações da secretaria de saúde, mantendo nossa distância social e usando máscaras, etc., para não infectar outras pessoas. Em outras palavras, se todos nós pensássemos apenas em “eu” como aquele que hospeda o vírus, e que agora não quero infectar ninguém com ele, estaríamos no caminho certo para ver o vírus desaparecer rapidamente de nossas vidas.

Inverter o foco da proteção pessoal e do benefício para a proteção e o benefício de outros detém um poder imenso. Ao usar esse período para fazer melhorias significativas em nossa preocupação e responsabilidade para com outras pessoas, daremos testemunho de efeitos tremendamente positivos que se espalharão por toda a sociedade humana, começando por garantir a saúde uns dos outros.

Portanto, não temos nada a perder e tudo a ganhar, apenas girando um pequeno botão de atitude dentro de nós para que nos relacionemos positivamente, com consideração e responsabilidade uns com os outros, e então estaremos no caminho para a cura não apenas de nós mesmos, mas também da sociedade humana como um todo.

Comente