“Israel E Os Judeus Da Diáspora – Irmãos Muito Distantes” (Times Of Israel)

The Times of Israel publicou meu novo artigo: “Israel E Os Judeus Da Diáspora – Irmãos Muito Distantes

O Ministro de Assuntos da Diáspora de Israel, Omer Yankelevich, está promovendo uma proposta que obrigará o governo israelense a consultar representantes do mundo judaico sobre questões relacionadas a eles antes de tomar decisões. A ideia, embora essencialmente correta, destaca o abismo que separa Israel dos judeus fora de Israel.

Antes de tomarmos qualquer decisão, precisamos nos conhecer. Como posso tomar uma decisão a respeito de outras pessoas se não sei como elas vivem, o que desejam, como ganham a vida ou o que desejam? Os judeus foram desconectados uns dos outros na Diáspora por quase 20 séculos. Se antes a religião mantinha algum tipo de semelhança entre os judeus, pelo menos nos livros de orações e serviços, hoje até esse aspecto se foi. No que diz respeito ao judaísmo, não há nada em comum entre os judeus americanos, por exemplo, e os judeus russos ou israelenses. Eles estão literalmente em mundos separados.

Por isso, eu penso que se quisermos reconstruir a conexão entre os judeus, temos que fazer isso não através da religião ou da relação com o Estado de Israel, que se tornou um assunto polêmico para muitos judeus, mas através da ideologia do judaísmo, ou seja, a ideia de responsabilidade mútua.

Se há um lema com o qual os judeus de todo o mundo se relacionam, é Tikkun Olam [correção do mundo]. Embora cada denominação interprete o termo de forma diferente, há consenso de que o ódio não faz parte do Tikkun Olam. Portanto, é por aqui que devemos começar, com a aceitação de que mesmo que discordemos uns dos outros a ponto do ódio, não deixamos o ódio dominar, mas nos elevarmos acima dele e formamos uma unidade. O Rei Salomão disse sobre isso: “O ódio suscita contendas, e o amor cobre todos os crimes” (Provérbios 10:12). Em outras palavras, não negamos nossos sentimentos negativos um pelo outro, mas elevamos a importância do amor acima de tudo.

Por que isso é importante? Porque, ao fazer isso, damos um exemplo de Tikun que o mundo verá. Ao nos elevarmos acima do nosso ódio, ajudaremos o mundo a se corrigir, dando o exemplo. Nenhuma outra nação deve fazer isso, exceto os judeus, e a divisão interna entre nós está na mente de todos (basta ler as manchetes). Portanto, se nos unirmos e mostrarmos o exemplo oposto, isso provará que é possível superar o ódio e dará o exemplo que outras pessoas seguirão.

Não precisamos ensinar Tikkun Olam; só precisamos dar um bom exemplo. Se quisermos consertar as relações de Israel com os judeus da Diáspora, este deve ser nosso foco.

Comente