“Com O Mundo Correndo Para Um Penhasco, Onde Está O Adulto Responsável?” (Linkedin)

Meu novo artigo no Linkedin: “Com O Mundo Correndo Para Um Penhasco, Onde Está O Adulto Responsável?

O incêndio do August Complex já queimou mais terras do que todos os incêndios registrados na Califórnia entre 1932 e 1999, combinados! Ainda está queimando. Desde a virada do século, ocorreram mais de 7.000 grandes desastres naturais afetando 4 bilhões de pessoas. Nos vinte anos anteriores à virada do século, houve apenas metade desse número de desastres. Claramente, o planeta Terra está acelerando em direção a um penhasco e ninguém tenta ser o adulto responsável.

Se escolhermos a solidariedade em vez da alienação, nos livraremos do vírus em pouco tempo. Melhor ainda, nos livraremos de todos os problemas que assolam o mundo de leste a oeste e de norte a sul. Tudo o que fazemos que prejudica o mundo é resultado de nosso desejo de ser superiores aos outros.

Inicialmente, o coronavírus nos desacelerou, mas agora também se tornou um cataclismo global por si só. Pior ainda, como já conhecemos a tendência, sabemos que as coisas não vão melhorar no futuro. Não há nada que possamos fazer?

Na verdade, há muito que podemos fazer. O mundo é como é porque todos pensam apenas em si mesmos. Se cada célula do nosso corpo pensasse apenas em si mesma, morreríamos em segundos. É isso que estamos fazendo com nosso planeta, nossa casa. Estamos matando-o.

Também não podemos esperar nada de nossos líderes, já que eles refletem nossa sociedade. Em uma sociedade egoísta, as pessoas mais egoístas chegam ao topo. Em uma sociedade gentil, os mais gentis estão no topo. Portanto, se quisermos um mundo diferente, teremos que mudar a nós mesmos e ajudar uns aos outros no processo.

Não precisamos procurar ninguém para nos dizer o que fazer; devemos simplesmente lembrar que somos todos partes de um sistema. Cada um de nós que age em contraste com o bem-estar do sistema prejudica a todos e, em última análise, a si mesmo.

Não é necessária nenhuma grande transformação para mudar o mundo; simplesmente requer consciência. Todos nós precisamos comer, ir a lugares, trabalhar e viver nossas vidas. Mas não precisamos definir nosso sucesso por nossa superioridade sobre os outros. Também não temos que competir; podemos optar por cooperar. Somos pessoas livres; podemos decidir que tipo de pessoa queremos ser e que tipo de sociedade queremos construir.

Se escolhermos a solidariedade em vez da alienação, nos livraremos do vírus em pouco tempo. Melhor ainda, nos livraremos de todos os problemas que assolam o mundo de leste a oeste e de norte a sul. Tudo o que fazemos que prejudica o mundo é resultado de nosso desejo de ser superiores aos outros. Se pegássemos apenas o necessário para ter uma vida boa para nós mesmos, haveria abundância para todos e não estaríamos esgotando e poluindo a terra. O consumo e o rejuvenescimento estariam em equilíbrio e levaríamos uma vida segura e agradável.

Mas todas essas grandes coisas não acontecerão a menos que nos tornemos nossos próprios adultos responsáveis. Estamos vivendo em uma época em que todos são responsáveis ​​por todos. A responsabilidade diferencia um adulto de uma criança. Crescemos e devemos representar o nosso papel.

Não precisamos ir muito longe; podemos começar com nossa família e amigos, os círculos mais próximos de nós. A tendência de cuidar vai se recuperar. Todo mundo precisa dela; é a mercadoria mais necessária hoje. E o melhor de tudo, não precisamos nos preocupar em gastá-la, porque ela se reabastece. Quanto mais você dá, mais recebe de todos os outros.

Não estou falando de sorrisos educados ou cortesia. Estou falando de ser responsável, prestar contas uns dos outros. Estou falando sobre saber que, se não agirmos com responsabilidade, simplesmente mataremos muitos de nossos semelhantes e, possivelmente, a nós mesmos. Existem tantas maneiras de agir com responsabilidade quanto pessoas. Cada um de nós precisa de algo mais, mas se pensarmos em nós mesmos como uma comunidade e não como indivíduos isolados, estaremos todos em melhor situação. Isso, na verdade, é tudo de que precisamos para salvar a nós mesmos, nosso planeta e o futuro de nossos filhos.

Comente