“A Humanidade Oscilando Entre O Céu E O Inferno” (Linkedin)

Meu novo artigo no Linkedin: “A Humanidade Oscilando Entre O Céu E O Inferno

Estamos em uma nova etapa em nosso “relacionamento” com a pandemia. Reconhecemos que ela permanecerá conosco por muito tempo, talvez para sempre, e estamos frustrados. Todo mundo está exausto com o vírus; os nervos estão esticados e podem estalar a qualquer momento. Essa tensão se manifesta de maneira diferente em pessoas diferentes, mas quase sempre negativamente – aumento da violência, depressão, intolerância, extremismo político e religioso e protestos violentos.

Uma sociedade é muito mais forte do que um indivíduo. Ela pode nos fornecer tudo que precisamos e muito mais: segurança, sustento, educação, entretenimento, lazer, diversão e jogos, suporte quando estamos fracos e paz de espírito sobre o futuro. O que devemos fazer em troca desses benefícios? Devemos fazer pelos outros o que eles fazem por nós. A reciprocidade é a chave para qualquer relacionamento de sucesso, e o mesmo vale para o nosso relacionamento com a sociedade.

Se as coisas continuarem a evoluir nessa direção, podem facilmente levar a distúrbios civis ou até mesmo à guerra civil. Em um estado em que as pessoas não veem futuro, quando estão sem esperança, são capazes de qualquer coisa, incluindo a mais extrema violência apenas para escapar da apatia sombria que as está puxando para baixo. Se nos deixarmos seguir por esse caminho, a vida será um inferno na Terra.

Mas existe outra maneira. Em tal estado terrível, sob uma clara ameaça à vida de todos, talvez percebamos que nosso pior e único inimigo é nosso próprio egoísmo. Não meu, ou dele, ou dela sozinho, mas de todos nós como um coletivo. Nós, como sociedade, somos muito egoístas e idolatramos indivíduos egoístas que se apresentam como felizes graças ao seu egoísmo. Quando admiramos indivíduos egoístas, estamos admirando o egoísmo e, pior ainda, fazemos com que todos os outros o admirem.

Por definição, uma sociedade é o oposto do egoísmo. Se quisermos ser individualistas, devemos nos retirar para algum lugar isolado, viver por nós mesmos, e quem sobrevive, sobrevive. Mas se quisermos viver como uma sociedade, temos que nos comportar como partes dela, ou seja, não individualisticamente, mas socialmente. Se quisermos viver em uma sociedade, mas nos comportando como se estivéssemos sozinhos e só nós importássemos, a sociedade explodirá. Isso é o que estamos fazendo conosco agora. Se concordarmos que os humanos são seres sociais, temos que representar o papel. É bom senso.

Uma sociedade é muito mais forte do que um indivíduo. Ela pode nos fornecer tudo que precisamos e muito mais: segurança, sustento, educação, entretenimento, lazer, diversão e jogos, suporte quando estamos fracos e paz de espírito sobre o futuro. O que devemos fazer em troca desses benefícios? Devemos fazer pelos outros o que eles fazem por nós. A reciprocidade é a chave para qualquer relacionamento de sucesso, e o mesmo vale para o nosso relacionamento com a sociedade.

Se percebermos que nossos egos nos cegaram para essa verdade óbvia, faremos de nossas vidas um paraíso na terra. É para onde podemos ir, se decidirmos fazer isso juntos. A verdade simples é que não há nada mais sem sentido e enfraquecedor do que pensar em nós mesmos, e nada mais inteligente e mais encorajador do que pensar um no outro.

Comente