“Na Necessidade De Um Novo Sistema De Navegação” (Linkedin)

Meu novo artigo no Linkedin: “Na Necessidade De Um Novo Sistema De Navegação

O mundo está mudando tão rápido que não conseguimos acompanhar. Costumávamos estudar sobre globalização na escola ou universidade, mas nunca a tínhamos sentido como um problema real em nossas vidas. Agora basta olhar pela janela na Europa Ocidental e ver o céu azul-claro, acinzentado pela fumaça dos incêndios na costa oeste da América, para entender que realmente estamos em um único barco. Estamos navegando pelo mundo como se vivêssemos em um mundo tridimensional, mas não; estamos vivendo em uma esfera, e cada ponto dessa esfera toca todos os outros pontos. Tudo o que fazemos, dizemos ou mesmo pensamos afeta todas as outras pessoas no mundo. É um pensamento assustador, mas mesmo assim é verdade. Concordo com o ex-secretário-geral da ONU Ban Ki-Moon, que recentemente conectou os problemas do mundo à “falta de parceria global”, mas acho que é mais profundo do que parceria; a nossa sobrevivência tornou-se conectada.

Podemos mudar a face da Terra e o destino da humanidade em questão de meses; é apenas uma questão de mudar de uma atitude negativa para uma atitude positiva em relação aos outros. Se fizermos isso, viveremos no paraíso na Terra. Se não fizermos isso, não precisaremos morrer para ir para o Inferno; ele vai chegar até nós.

Na verdade, a primeira lição que o coronavírus nos ensinou foi que mudamos para uma nova dimensão de existência, uma dimensão esférica, onde cada elemento impacta todos os outros elementos. Muitas pessoas usaram a frase “Uma infecção em qualquer lugar é uma infecção em qualquer lugar” para descrever nossa responsabilidade mútua com relação ao coronavírus, mas isso é tão verdadeiro quanto a todo o resto.

Portanto, embora não gostemos um do outro e, em muitos casos, desejemos o pior um ao outro, não podemos nos dar ao luxo de manter essa atitude; ela vai nos machucar muito direta e pessoalmente. Nós nos tornamos responsáveis ​​uns pelos outros no sentido pleno da palavra. Devemos nos preocupar com os incêndios e furacões nos Estados Unidos como se estivessem acontecendo em nossa própria cidade; devemos nos preocupar com os milhões de pessoas que morrem de Covid como se fossem nossa própria família e devemos nos preocupar com os milhões de pessoas em todo o mundo que não têm comida e água suficientes, abrigo ou mesmo saneamento. Devemos nos preocupar com todas as pessoas que estão sofrendo porque hoje seremos nós amanhã, tão simples e tão literais quanto isso.

E não é como se não houvesse nada que possamos fazer. Há bastante comida e água para todos; há muito que podemos fazer para conter Covid e até mesmo curá-la, e há muito que podemos fazer para ajudar a Terra a equilibrar seu clima. Mas na atitude atual de “cão come cão”, não vamos fazer nada e todos vamos nos afogar no barco que está afundando na Terra.

Portanto, a primeira coisa que precisamos fazer é mudar a forma como nos relacionamos. Se mudarmos a atmosfera social, de repente parecerá muito natural ajudar uns aos outros. Quando isso acontecer, os vastos recursos que armazenamos para nossas próprias necessidades e para negá-los aos outros, rapidamente encontrarão o caminho para onde são mais necessários. Podemos mudar a face da Terra e o destino da humanidade em questão de meses; é apenas uma questão de mudar de uma atitude negativa para uma atitude positiva em relação aos outros. Se fizermos isso, viveremos no paraíso na Terra. Se não o fizermos, não precisaremos morrer para ir para o Inferno; ele vai chegar até nós.

Comente