“Arrepender-Se Dos Pecados Do Ano Passado Não Permite Sua Repetição No Próximo Ano” (Medium)

Medium publicou meu novo artigo: “Arrepender-Se Dos Pecados Do Ano Passado Não Permite Sua Repetição No Próximo Ano

Nas semanas que antecederam o Yom Kippur (Dia da Expiação), e especialmente no dia mais sagrado do ano, muitos judeus se arrependeram dos pecados do ano passado. Pedimos a Deus que perdoe nossos pecados contra Ele, e principalmente uns contra os outros, e imploramos a Ele para apagar nossa “acusação”. Confessamos nossos pecados perante Ele e, em troca, esperamos que Ele nos perdoe.

Cada ocasião no calendário hebraico simboliza um estágio em nossa transformação de egoísmo em abnegação. Este é o significado de Tikkun – que nos tornamos pessoas boas, que querem fazer o bem entre si e nos esforçamos para amar o próximo como a nós mesmos.

No final do jejum, cantamos com alegria porque nossos pecados foram perdoados e Deus os perdoou. E o que fazemos imediatamente depois? Começamos a preencher a folha do próximo ano. Este é um completo mal-entendido de toda a ideia de Selichot – o pedido de perdão ao Criador.

Cada ocasião no calendário hebraico simboliza um estágio em nossa transformação de egoísmo em abnegação. Este é o significado de Tikkun – que nos tornamos pessoas boas, que querem fazer o bem entre si e nos esforçamos para amar o próximo como a nós mesmos.

Selichot não é uma permissão para pecar no próximo ano; é uma promessa de abster-se de pecar, um pedido a Deus para mudar nossa inclinação ao mal e egoísmo em uma inclinação ao bem e para dar. Se retomarmos nossos maus tratos assim que o Yom Kippur terminar, é como se tentássemos enganar a Deus. Não funciona.

Nós, judeus, temos a obrigação de nos corrigir e ser uma nação modelo, “uma luz para as nações”. É por isso que todos os nossos feriados são sobre a transformação do egoísmo em altruísmo. Enquanto evitarmos isso, seremos párias aos olhos do mundo, uma peste que o mundo deseja limpar e eliminar. Perguntamos por que existe antissemitismo e por que os judeus sofreram nas mãos das nações ao longo das gerações, mas nós mesmos estamos fazendo com que elas nos odeiem por causa de nossa relação abominável com nossos irmãos.

Todo não-judeu, especialmente o antissemita, examina de perto como tratamos uns aos outros. Até Hitler escreveu no Mein Kampf que os judeus se unem apenas quando um “butim comum” os incita a cooperar, mas, por outro lado, eles são maus uns com os outros. Se quisermos a expiação pelos nossos pecados, precisamos olhar para o nosso passado apenas para aprender com ele como nos tratar melhor e pedir a Deus que nos dê forças para cumprir nossa promessa a Ele, mas principalmente uns aos outros.

Comente