Onde Está Oculta A Liberdade De Escolha?

laitman_423.02Pergunta: Como a atual pandemia afetará nosso desenvolvimento? Ela promove o livre arbítrio humano? Vemos que, pelo contrário, ela tira nossa liberdade de escolha porque nos comportamos de acordo com as circunstâncias externas em que existimos. Onde está a liberdade aqui?

Resposta: Na verdade, não tínhamos nenhuma liberdade de escolha. Nunca fomos guiados por ela; agimos apenas em nome do nosso egoísmo.

Levando em conta todos os tipos de restrições que o ambiente nos impõe, agimos apenas sob a influência de um único fator – nosso egoísmo – para preenchê-lo e satisfazê-lo a cada instante.

Comentário: No passado, pelo menos havia uma ilusão de liberdade de escolha.

Minha Resposta: Você está certo, a ilusão desapareceu. Mas, justamente pelo fato de não existir mais, temos a oportunidade de alcançar a verdadeira liberdade de escolha.

É para nos elevarmos acima do nosso egoísmo, que nos aprisiona completamente e não nos permite ser livres de forma alguma. Isto é, a liberdade de escolha é, antes de tudo, a liberdade da natureza egoísta, que nos é imposta de cima.

Pergunta: Por que está escrito em muitas fontes que o livre arbítrio reside na escolha do ambiente correto?

Resposta: Este já é um meio. Se eu acredito que sou obrigado a sair do poder do egoísmo que me domina, estou procurando um meio de alcançar isso. E acontece que isso só pode ser feito através da criação de um ambiente apropriado que me influencie corretamente.

Pergunta: Em qualquer sociedade egoísta, receber dela me traz prazer e retribuir à sociedade causa sofrimento. Não quero dar, ou quero, mas na medida em que recebo dela.

Mas, de repente, os valores da sociedade começam a mudar e eles me dizem que dar é bom. Eu começo a trabalhar, por assim dizer, contra o meu egoísmo. É sobre a liberdade de escolha que você está falando?

Resposta: A liberdade de escolha é expor-se à influência do ambiente correto no qual a propriedade de doar é considerada a mais alta e prevalece sobre a propriedade de receber.

Então, ao me incluir nessa sociedade, como uma criança pequena com os olhos fechados, rendendo-me a ela, posso mudar esses dois níveis em mim, para que a propriedade de doar seja mais importante, melhor e maior para mim em comparação com a propriedade de receber.

Pergunta: Então, por um lado, vou contra minha propriedade natural de receber. Por outro lado, a sociedade me fornece certos valores que me dizem que vale a pena devolver a ela. Esse conflito evoca um certo espectro de ações em mim em que sou livre?

Resposta: Absolutamente certo.

De KabTV, “Era Pós-Coronavírus”, 30/04/20

Comente