Não Há Caminho De Volta

627.2Qual é a diferença entre o nosso tempo e todos os períodos anteriores de desenvolvimento que se passaram na Terra? Sempre procuramos melhorar nossa condição e para isso forçamos a natureza a mudar por nós, ajustando-a às nossas necessidades. Não queríamos mudar a nós mesmos, mas procurávamos mudar o mundo, considerando-nos senhores da natureza.

Nós crescemos assim e para isso desenvolvemos ciência, técnicas e tecnologia para mudar o mundo ao nosso redor para nossos benefícios imediatos, ao invés de mudarmos por dentro. Mas hoje chegamos a um estado completamente novo. A natureza quer que mudemos a nós mesmos de acordo com ela, em vez de ficarmos confortáveis ​​com ela.

A natureza não exigia que mudássemos antes, apenas para nos adaptarmos às condições estabelecidas, como os animais. É assim que o mundo inanimado, as plantas e os animais existem; aproveitam tudo o que existe no ambiente para se proporcionarem as condições mais confortáveis.

Mas tudo isso está no passado e agora estamos entrando em uma nova era. A humanidade ainda não percebeu isso, mas a ciência da Cabalá nos permite perceber isso e começar a ver. A natureza, a força superior, exige que os humanos comecem a mudar para se adequar a ela. Assim como na criação de filhos, no início não exigimos nada deles. O principal para a criança é crescer, ganhar mais peso, entender mais e saber como se instalar no ambiente.

Mas depois começamos a exigir gradualmente das crianças a compreensão do que está acontecendo, o contato mútuo com o ambiente e a conexão integral. Ou seja, o humano deve contar com a natureza agora. A natureza exige de nós o desenvolvimento correto e uma mutualidade cada vez maior. Talvez possamos finalmente entender isso e começar a mudar a nós mesmos.

O primeiro Congresso que realizamos nesta nova era deve estar imbuído do espírito da última geração, o novo estado. A natureza não nos impulsiona apenas a nos adaptarmos às suas condições, exige que façamos mudanças internas, e não devido a técnicas e tecnologias.

Nossa natureza interna precisa ser corrigida. E a correção só é possível através da união, e isso é o que distingue um ser humano da matéria inanimada, plantas e animais. Uma pessoa pode se tornar parte da natureza integral apenas se corrigir seu egoísmo.

Os níveis inanimado, vegetal e animal agem de acordo com os instintos naturais. Mas as pessoas devem estudar seu desejo de desfrutar e tentar trazê-lo em harmonia com a natureza, transformando-o de recepção em doação. Só depois disso conseguiremos a conexão correta com todos os níveis da natureza.

Essa é a peculiaridade do novo período em que a humanidade está entrando. É por isso que todas as tentativas de retornar ao antigo estilo de vida não serão coroadas de sucesso. Pelo contrário, receberemos golpes cada vez que tentarmos reverter e voltar. Esses golpes vão nos ensinar e nos mostrar uma nova direção. Estar mais perto da natureza significa alcançar uma conexão integral, e essa é a única maneira de chegar a um bom estado.

Caso contrário, nada ajudará. Esperamos que o coronavírus nos varra como uma onda de tsunami e retorne ao mar, permitindo-nos voltar à nossa vida anterior. Mas isso não vai acontecer. Pelo contrário, haverá onda após onda. Sempre que nos parece que podemos voltar ao antigo estilo de vida, seremos imediatamente cobertos pela próxima onda, que nos fará pensar não no passado, mas no futuro. E a união é a única direção para o futuro.

O período da infância, quando a natureza nos criou com palmadas suaves, como crianças pequenas, acabou. As crianças se tornaram adultas e é hora de descobrir o que fazer. Somente por meio da conexão entre os corações, não por meio de dispositivos, os humanos podem se conectar com a natureza e sentir uma nova vida nesta nova conexão. Esta é uma verdadeira revolução, tanto espiritual quanto material.

De KabTV, Lição Diária de Cabalá 05/08/20, “A Última Geração: do Velho Mundo para o Novo Mundo” (Preparação para a Convenção Virtual “Um Novo Mundo” 2020)

Comente