De Onde Veio O Vírus?

627.2Pergunta: De onde veio o coronavírus? Acredita-se que seja de origem animal. Os morcegos o pegaram, depois os animais de estimação.

Aí falaram que o vírus aparece quando a neve derrete, e é até possível que seja a partir daí. Agora dizem que a invasão de florestas, na Amazônia, por exemplo, vai nos trazer um grande número de vírus. De repente, acontece que as pessoas que estão em alguma ilha deserta também ficam doentes com o vírus. E não há morcegos lá.

Os grandes cientistas começam a se perguntar: de onde ele vem?

Resposta: Do nada. Do fato de que o próprio homem é a fonte do vírus.

Por quê? Porque quando, no processo de nosso crescente egoísmo, tratamos uns aos outros com mais e mais desdém e rejeição, causamos na natureza essas forças negativas que estimulam compostos chamados vírus.

Pergunta: Ou seja, o vírus atinge nossos pensamentos e ações que são direcionados contra outras pessoas?

Resposta: Sim. As forças que atuam entre nós e por nós geradas dão origem a essa combinação de matérias elementares, que chamamos de vírus.

Pergunta: Então, em princípio, os cientistas não encontrarão um antídoto para ele?

Resposta: O antídoto vem ao longo do caminho: comecem a se tratar bem e não haverá vírus. E mesmo aqueles que existem irão desaparecer. Estes os comerão. Isso é muito elevado para os cientistas porque está no nível dos desejos, no nível das aspirações, no nível dos relacionamentos – algo que os cientistas não podem compreender.

Os cientistas trabalham no nível da matéria. E isso está no nível da matéria sutil: desejos, amor, ódio, medos e assim por diante.

Pergunta: Qual é a sua solução agora? Para lidar com a origem do vírus?

Resposta: Se não fizermos isso, nem saberemos com o que estamos lidando. Mas aqui vamos para o nível em que subimos da matéria para o próximo nível: desejos, pensamentos, relacionamentos, isto é, em geral, para a matéria sutil.

Pergunta: Ambos os vírus e antivírus se originam de lá?

Resposta: Sim. Tudo está aí. Em geral, toda matéria se origina aí.

Pergunta: Na prática, você está entrando na sala de controle do nosso mundo?

Resposta: Claro. Por que não? Um pensamento deu origem a tudo, a toda a natureza. “No começo era a palavra”.

Observação: Mas cancelamos todas as ciências terrenas com isso.

Minha Resposta: Não estamos cancelando nada. Eles estão absolutamente corretos em seu nível.

Observação: Mas eles não encontram um antídoto. Por enquanto, pelo menos.

Minha Resposta: Eles não conseguem encontrar em seu nível! O que você pode fazer?

Comentário: Então, um médico de hoje deve se tornar um sábio?

Minha Resposta: Ou, o sábio de hoje pode ser um médico. E não exija nada do médico.

Pergunta: Ou o médico deve entender que tudo isso está em um nível diferente?

Resposta: Sim, no próximo nível. E ele deve trabalhar em seu próprio nível, no terreno.

A segunda onda virá, e a terceira, e mais vírus se espalhará por toda parte. Veremos que tudo depende apenas de nossos pensamentos, de nossos sentimentos, de nosso relacionamento uns com os outros.

Pergunta: Qual é o seu principal conselho?

Resposta: Não voar para qualquer lugar, para alguma ilha deserta. Não vai ajudar. Só uma coisa vai ajudar: pense bem dos outros.

Observação: Conselho muito simples para as pessoas. É claro que é muito difícil de executar na realidade, mas é muito simples. Pense bem nos outros – aprendemos isso no jardim de infância e na escola.

Minha Resposta: E eles te ensinaram corretamente. Se pudéssemos absorvê-lo. Perceba isso.

Pergunta: Qual é o segredo aqui? Que tipo de complemento para “pensar bem dos outros” existe?

Resposta: Nossos pensamentos governam o mundo.

Pergunta: Mas posso pensar bem dos outros?

Resposta: Não. Isso deve ser aprendido!

Pergunta: Qual é o segredo aqui? Não consigo pensar bem dos outros. Não posso.

Resposta: É feito de propósito para que você não possa. Porque a sua atitude para com os outros depende da direção do seu pensamento, do seu desejo, da conexão com os outros, do trabalho mútuo entre si, em geral, de tantas condições que você deve desenvolver em si mesmo, na sua sociedade, pelo menos em um pequeno grupo.

Pergunta: Então, até que eu resolva isso, estaremos expostos ao vírus?

Resposta: Sim. Não apenas isso.

Pergunta: Isso pode ser resolvido em um curto período de tempo? Ainda assim, agora estamos falando sobre o fato de que a humanidade está doente.

Resposta: Hordas de vírus estão se aproximando de nós.

Comentário: Então, quando podemos começar a nos livrar dos vírus?

Minha Resposta: Podemos reduzir seus efeitos nocivos. Podemos adiar um pouco todos os tipos de problemas causados ​​por eles até ficarmos mais inteligentes. Mas depende de quanto vamos começar agora a tentar perceber esses vírus corretamente para que com a ajuda deles possamos ser direcionados para o objetivo certo.

Vamos realmente entender sua presença entre nós corretamente.

Pergunta: O que devo entender?

Resposta: Devo entender que isso é para mim, por minha causa, para meu benefício.

Não há nada na natureza contra o homem. Nada! Tudo é para que possamos crescer mais sábios, amadurecer e mudar um pouco – para um relacionamento positivo uns com os outros e, em geral, com toda a natureza.

Pergunta: E se eu começar a entender isso?

Resposta: Então você melhora sua saúde. Você apenas começa a se sentir fisicamente, moralmente e mentalmente saudável.

Ao mesmo tempo, alcançamos um nível completamente diferente de interação e percepção da natureza. Ou seja, toda a nossa vida estará no nível de nossos pensamentos, nossas interações – positivas e negativas. E não há nada na natureza, exceto o mais e o menos interagindo um com o outro. E o mesmo conosco: seremos capazes de administrar nossos desejos, nossos pensamentos. Tão simples!

Comentário: Ou seja, eu entro no nível dos pensamentos, sem palavras. Eu posso ficar em silêncio.

Minha Resposta: Não há palavras, nada físico. De repente, nos encontramos em um enorme espaço completamente preenchido com prós e contras. Partículas como pensamentos, sentimentos.

Pergunta: Então, ainda há pontos negativos aí? Não é apenas cheio de bondade, amor?

Resposta: Não pode haver mais sem menos.

Pergunta: O menos é minha resistência ao mais?

Resposta: Sim, deve existir. E, portanto, como sabemos pela Cabalá, não removemos nosso egoísmo. Nós apenas o usamos corretamente.

Abrimos este enorme computador no qual existimos e começamos a interagir com ele com a ajuda de nossos pensamentos e desejos. E nós nos envolvemos no trabalho deste computador e o colocamos em um estado de completo equilíbrio. Tudo isso para nos revelar a equação básica do universo, que tudo isso existe apenas para revelar a felicidade.

Pergunta: O que fazemos? Quanto devemos conversar? Quanto tempo temos para repetir isso? Por quanto tempo você está disposto a repetir isso? Voltar a isso o tempo todo, quanto tempo?

Resposta: “Enquanto eu viver, o universo brilhará”. Você não tem para onde ir.

Pergunta: Ou seja, você tem e terá paciência para isso e vai continuar?

Resposta: Eu farei isso enquanto eu puder falar.

De KabTV, “Notícias com Dr. Michael Laitman”, 15/06/20

Comente