Um Homem Vendeu Sua Vida E Ficou Feliz

720Pergunta: Na Austrália, um homem de cinquenta anos, Ian Asher, vendeu completamente sua vida. Ele vendeu sua casa, todos os seus equipamentos, um carro, uma motocicleta, incluindo sua vida e seus conhecidos. Ele colocou tudo em leilão no eBay por um dólar. Ele disse: “Eu não preciso de uma vida assim. Quem quiser pode levá-la”.

Dentro de uma semana da licitação, o preço subiu para US $ 305.000. Tudo o que restava era ele mesmo, seu passaporte e dinheiro. Ele disse: “Sonhei com aventuras o tempo todo, mas, na realidade, tinha um trabalho chato, vendia tapetes”. Ele fez uma lista de 100 objetivos e prometeu que, em 100 semanas, realizaria todos eles.

Ele viajou sem parar: voou para Dubai para esquiar, correu com os touros na Espanha, nadou com tubarões brancos na África, viajou no Japão e caminhou pela Grande Muralha da China.

Dois anos depois, depois de gastar US $ 270.000 e cumprir 93 dos 100 objetivos, decidiu desistir dos 7 restantes – aprender a entender em um sonho que você está dormindo, mergulhar no fundo do oceano – e esquecer sobre eles. Em vez disso, ele comprou uma pequena ilha na costa do Panamá, construiu uma casa e começou a morar lá.

Além disso, agora ele tem uma mulher amada. Eles abriram sua própria editora, publicam livros e escrevem contos de fadas.

Por que tipo de vida vale a pena lutar?

Resposta: E pelo que vale a pena lutar se tudo acabar? Eu não lutaria.

Pelo que lutar? Pelo fato de você ter recebido mais alguns anos e deseja vivê-los de alguma forma, melhor ou pior? Você olha para o final e vê que não faz sentido lutar.

Pergunta: Mas no que realmente vale a pena gastar toda a vida? Afinal, ela é tão longa.

Resposta: A vida nos é dada apenas para atingir seu significado no qual uma pessoa já atinge a própria vida. É a própria vida que é alcançada ao atingir seu sentido.

O sentido da vida é alcançar sua raiz, de onde descemos e para onde voltamos; nós descemos a este mundo e subimos de volta.

Pergunta: Por que uma pessoa precisa descer a este mundo, sentir esses problemas, descontentamento, decepção e desespero?

Resposta: Para que ela se afaste de todos esses problemas. Ela não precisa de nenhum problema. Ela precisa entender o sentido da vida. Mas não é de todo neste mundo e nem em como fazer algo neste mundo.

Pergunta: Por que não revelar imediatamente o sentido da vida a um homem? Por que ele deveria passar por essa série de anos de existência sem sentido?

Resposta: Ele não apreciaria isso. Ele deve revelar e ganhar isso. Porque quando você trabalha nisso, você começa a desenvolver um apetite por isso, um desejo pelo qual começa a sentir o sentido da vida.

Eu posso pagar tudo por isso. Tudo o que tenho. Estarei pagando apenas por atingir o sentido da vida durante toda a minha vida.

Pergunta: Quando uma pessoa ficou desapontada com sua vida, vendeu a ela e todos os seus pertences, começou tudo de novo e acabou encontrando sua pequena felicidade, mostrou a outras pessoas um exemplo de que você precisa estabelecer metas e alcançá-las.

Uma pessoa que atinge o sentido da vida e, para ela, a vida adquire sentido, importância, valor, também de alguma forma pode dar um exemplo e transmiti-lo?

Resposta: Mas como ela pode contar aos outros sobre o sentido da vida? Ela o encontrou sozinho, ela o adquiriu. Ele tem um valor metafísico, não corpóreo. Não é como se eu tivesse comprado ou encontrado algum tipo de diamante.

Para mim, o valor da minha vida está na própria vida, na medida em que eu a alcanço sozinho. E para outra pessoa é quando ela o alcança sozinha. Eu não posso vende-lo. Eu posso vender a vida. Mas não posso vender o valor da vida.

Pergunta: Mas uma pessoa nasce com uma certa aspiração pela vida, algo que a atrai inicialmente. Depois disso, toda a sociedade com seu sistema a domina. Como uma pessoa pode romper essa massa global de distúrbios e discernir que é possível alcançar o sentido da vida?

Resposta: Esse é o destino. Isso acontece se uma pessoa tem um fio condutor especial, um destino, sorte, uma propriedade especial, um anjo especial.

Pergunta: E o que é o destino?

Resposta: O destino é uma força especial que invisivelmente, incompreensivelmente, leva a pessoa pela mão até o objetivo superior.

Pergunta: Como uma pessoa pode entende-lo? Você sabe como isso acontece quando você segura a ponta do fio, começa a girar uma pista invisível e ela leva você, enquanto trabalha, a resultados inesperadamente excelentes.

Resposta: Isso é apenas através de uma propriedade sutil da alma interior.

Pergunta: Se uma pessoa ainda não chegou à beira do desespero absoluto quando o mecanismo reverso começa a funcionar dentro dela, como ela pode repensá-lo voluntariamente?

Resposta: Se ela tiver um anjo, um destino, ela terá sucesso, mas se não, não funcionará. Cada um de nós tem um bom anjo. Só é preciso atrair esse bom anjo para ela. Para fazer isso, é preciso realmente querer. Acontece com quem quer.

Esse é um sentimento interno de desejo, um brilho do objetivo que você deseja buscar, mas você não entende o que é, como alcançá-lo, onde encontrar força, desejo. Pessoas que querem isso vêm até nós.

Se em cada pessoa surge uma propriedade especial – alcançar a si mesma, seu próprio mundo superior, a predestinação – isso significa que um anjo já está aparecendo nela. A força que a leva ao objetivo, à realização.

Pergunta: E já estamos nesta geração?

Resposta: Sim, estamos no limiar do fato de que cada um de nós tem um anjo que já está dizendo a ele, sussurrando que há um sentido na vida: “Não se desespere, vá em frente e procure”.

De KabTV, “Notícias com Dr. Michael Laitman” 03/03/20

Comente