“Cinco Coisas Que Precisamos Saber Nos Dias Da COVID-19” (Medium)

Medium publicou meu novo artigo: “Cinco Coisas Que Precisamos Saber Nos Dias Da COVID-19

Uma mulher usando uma máscara na época da COVID-19, passa pelas caixas de mudanças empilhadas em frente a uma casa de pedra do Upper West Side, esperando que os motoristas terminem de guardar os pertences dos ex-inquilinos que já foram realocados para fora do estado, Nova York, NY , 13 de julho de 2020.

Ninguém a entende. Ninguém sabe realmente de onde veio, como foi feita, qual é o seu propósito, como nos afeta, por que nos afeta do jeito que afeta, ou como se livrar dela, se é que existe um jeito. A COVID-19 nos encurralou, à sua mercê, e estamos apenas esperando o gongo nos salvar.

O resultado final da nova pandemia de coronavírus será uma sociedade cujas pessoas receberão suas necessidades básicas sem esforço, socializarão umas com as outras ao longo do dia e viverão em paz umas com as outras e com a natureza.

Mas, na verdade, temos um problema maior do que responder a essas perguntas mencionadas. Nosso problema é nossa atitude em relação ao vírus, porque se mudarmos de atitude, transformaremos a ameaça em uma bênção.

Abaixo estão cinco coisas que precisamos saber para mudar nossa atitude e transformar a desgraça em uma benção.

  1. A primeira coisa que precisamos saber é que o vírus influencia mais do que nossos corpos. Além de seus óbvios impactos físicos, ele está nos afetando emocional e mentalmente. O vírus está mudando nossa psicologia. Ele nos forçou a fazer um lockdown e nos fez reexaminar muitos valores que tomamos como certos. Ele nos mostrou que não há problema em não comprar ou procurar oportunidades de compras a cada momento. Ele abriu nossos olhos para as pessoas ao nosso redor, nossos pais, filhos, cônjuges e amigos. Mostrou-nos quão impacientes somos, quão cuidadosos ou não nós somos e quão cuidadosos ou não são nossos parentes.
  2. A COVID-19 é uma professora de responsabilidade mútua. Mesmo se não me sentir doente e for jovem, forte e saudável, eu posso ser portador e transmitir o vírus aos meus pais ou avós não tão jovens, fortes e saudáveis. Portanto, devo evitar abraçá-los e beijá-los, ou mandar as crianças ficarem com eles quando quiser fazer algum trabalho. E devo fazer isso não porque não quero pegar o vírus, mas para não transmiti-lo a eles. Além disso, as autoridades me dizem que devo aplicar essa abordagem quando sair para não transmitir o vírus a outras pessoas, para completos estranhos! Essa é uma abordagem social completamente nova, ainda que vital nos dias de gérmens supercontagiosos.
  3. Outra coisa muito importante a saber é que o vírus está reestruturando a economia. Goste ou não, ele está matando o consumismo, vencendo o capitalismo e introduzindo o que o colunista do NY Times, Thomas Friedan, chamou de empregos que “criam mais valor com os corações e entre os corações”. Isso não é comunismo ou socialismo do século XX. Não é uma economia que vê todos como iguais. Pelo contrário, ela vê todos como únicos e se esforça para se beneficiar das habilidades e capacidades únicas de todos. Dessa forma, ela apoia o desenvolvimento dos talentos e capacidades de cada pessoa, as quais, felizmente, empregam para melhorar a sociedade como um todo, enquanto a sociedade reconhece a contribuição de cada pessoa e elogia cada pessoa por seus esforços para tornar a sociedade um lugar melhor para se viver. Dessa forma, a sociedade se beneficia das contribuições das pessoas, e as pessoas contribuem alegremente porque as capacitam, realizam seus sonhos e as fazem se sentir dignas e valiosas como seres humanos.
  4. O coronavírus nos levará a realizar mudanças radicais no mercado de trabalho. No nível material, a sociedade cuidará dos alimentos básicos das pessoas; elas não precisarão se preocupar em obter comida, água, abrigo, assistência médica, educação e até recreação. Haverá pessoas cuja contribuição para a sociedade será a fabricação e fornecimento de produtos básicos para todos. O resto do povo não ficará ocioso; eles estarão ocupados criando “valor com seus corações”, como Friedman colocou, aprimorando a solidariedade e a coesão social.
  5. O resultado final da nova pandemia de coronavírus será uma sociedade cujas pessoas receberão suas necessidades básicas sem esforço, socializarão umas com as outras ao longo do dia e viverão em paz umas com as outras e com a natureza. Como compras excessivas não agradarão mais as pessoas, elas não consumirão mais do que precisam e não esgotarão o planeta de seus recursos. A natureza se recuperará, o clima retornará ao equilíbrio e as pessoas se sentirão unidas entre si e com toda a natureza.

Comente