“Aprendendo O Método De Ensino Da Natureza” (Medium)

Medium publicou meu novo artigo: “Aprendendo O Método De Ensino Da Natureza

No início dos anos 30, o pai do meu professor, o grande Cabalista e ilustre pensador Baal HaSulam, escreveu um ensaio inovador intitulado “A Paz”, onde destacou como a humanidade pode alcançar a paz e o que acontecerá se não alcançar. Entre outras coisas, ele articulou o modo de a natureza cuidar de suas criações, como as cria até que se tornem independentes. Nas suas palavras: “Tomemos como exemplo a criação de um ser humano: o amor e o prazer dos progenitores são sua primeira razão, garantida para cumprir seu dever. Quando a gota essencial é extraída do pai … a natureza garantiu sabiamente um lugar seguro para ela, o que a qualifica para receber a vida. A natureza também lhe dá seu pão diário na quantidade exata. A natureza também preparou uma base maravilhosa para ela no ventre da mãe, para que nenhum estranho possa prejudicá-la.

O coronavírus nos deu a chance de praticar a responsabilidade mútua. Tudo o que precisamos fazer é obedecer a duas leis: usar máscaras e manter a distância. Se fizéssemos isso por apenas algumas semanas, nos livraríamos da praga.

“Ela atende a todas as suas necessidades como uma babá treinada que não a esquecerá por um momento até que tenha adquirido forças para emergir em nosso mundo. … Então também a natureza não a abandona. Como uma mãe amorosa, ela a leva a pessoas tão leais e amorosas em que pode confiar, chamadas de ‘Mãe’ e ‘Pai’, para ajudá-la nos seus dias de fraqueza até crescer e se sustentar. Como o homem, todos os animais, plantas e inanimados também são; todos são cuidadosos e misericordiosamente cuidadosos para garantir sua própria existência e a continuação de sua espécie”.

No entanto, adverte Baal HaSulam, quando crescermos, devemos assumir responsabilidade e começar a nos comportar cada vez mais com relação um ao outro, cuidar um do outro e de toda a natureza. Quanto mais resistimos às lições da natureza, mais insistente e dolorosamente ela nos ensina. E a lição que a natureza nos ensina, escreveu Baal HaSulam há quase um século, é construir uma sociedade baseada em dar e não em receber. Por estarmos relutantes, ele acrescentou: “a humanidade está sendo fritada em uma turbulência hedionda, e as lutas e a fome e suas consequências não cessaram até agora”.

No entanto, as lições da natureza não precisam ser duras. Baal HaSulam escreve que “A maravilha é que a natureza, como um juiz habilidoso, nos castiga de acordo com o nosso desenvolvimento. Pois podemos ver que, na medida em que a humanidade se desenvolve, as dores e tormentos que obtêm nosso sustento e existência também se multiplicam”.

Em conclusão, escreve Baal HaSulam: “Você tem uma base científica e empírica de que a natureza nos ordenou que obedeçamos com toda a força a regra de doação a outras pessoas com absoluta precisão, de maneira que nenhuma pessoa entre nós trabalhe menos que a medida necessária para garantir a felicidade da sociedade e seu sucesso. Enquanto estivermos ociosos ao máximo, a natureza não deixará de nos punir e se vingar”.

Finalmente, Baal HaSulam adverte, apenas alguns anos antes do início da Segunda Guerra Mundial, que “além dos golpes que sofremos hoje, também devemos considerar a espada desembainhada para o futuro”. Portanto, ele acrescenta: “A conclusão correta deve ser tirada – que a natureza acabará nos derrotando e todos seremos obrigados a dar as mãos, seguindo seus ditames, com toda a medida exigida de nós”, ou seja, “obedecer … a regra da doação aos outros”.

O método gradual de ensino da natureza terminou na destruição da Europa e na morte de dezenas de milhões de pessoas, uma vez que elas não quiseram ouvir. Agora estamos vendo o crescente ciclo de ódio se tornar um redemoinho ameaçador que ameaça afogar o mundo inteiro mais uma vez, e o custo será muito mais alto do que até a guerra mundial anterior.

Nos Escritos da Última Geração, Baal HaSulam escreve que uma terceira guerra mundial nuclear acontecerá se não tomarmos sobre nós o mandamento de construir uma sociedade de doação e responsabilidade mútua. A julgar pela escalada dos crimes de ódio e das tensões internacionais, é fácil ver sua previsão se materializando. Mas a natureza é um juiz habilidoso; nos tratará de acordo com nossas ações. Se escolhermos a responsabilidade mútua agora, evitaremos as duras lições da natureza.

O coronavírus nos deu a chance de praticar a responsabilidade mútua. Tudo o que precisamos fazer é obedecer a duas leis: usar máscaras e manter a distância. Se fizéssemos isso por apenas algumas semanas, nos livraríamos da praga. Mas nós podemos? Nós nos importamos o suficiente com os outros para ajudar o mundo a se livrar do vírus? O coronavírus é um teste do nosso compromisso um com o outro. Se falharmos, a natureza fornecerá um professor muito mais rigoroso e muito menos simpático. E se continuarmos falhando, a previsão de Baal HaSulam se tornará realidade.

Comente