A Dezena: Um Dispositivo Para Revelar O Criador

laitman_934O Criador pode ser revelado apenas dissolvendo-se nos amigos e subindo ao nível de Bina. É semelhante a um dispositivo necessário para detectar um campo magnético invisível. Este dispositivo mostrará que existe uma certa força atuando sobre ele e desviando seu mostrador. Isto é, ele nos mostra não a força em si, mas sua reação a essa força.

Nós nos tornamos um dispositivo para revelar o Criador, que trabalha com o mesmo princípio de todos os instrumentos de medição do nosso mundo. Nós apenas temos que organizar tudo corretamente dentro de nós, e seremos capazes de descobrir o Criador.

O dispositivo deve perceber o fenômeno e reagir a ele, e então sua reação pode ser medida e o dispositivo pode ser usado para estimar a força que o causou. Não sabemos o que são forças eletromagnéticas, mas sabemos como elas agem; elas fazem com que a corrente flua em um fio ou o movimento de uma agulha da bússola. Sempre vemos a reação do dispositivo, não a força em si, e tiramos conclusões, nomeando-o pelo próprio fenômeno.

Para revelar o Criador, precisamos construir uma bússola de nós mesmos, um circuito de indução, um dispositivo que revele a força superior. O Criador está girando tudo dentro de nós agora também, mas não estamos prestando atenção a Ele. Que mudança é preciso fazer dentro de si mesmo para discerni-Lo?

Todo o nosso trabalho consiste nessa calibração, em sintonizar-se com o Criador. O problema é que eu sinto a minha própria reação à influência da força superior e preciso decifrá-la de maneira a encontrar o Criador nela. Eu respondo a Sua influência dentro do meu desejo, meu corpo. Portanto, preciso me calibrar para que meu desejo me permita entender corretamente as ações do Criador.

Para isso eu preciso me anular a zero, não exigir nada para o meu egoísmo. Cada dispositivo é primeiro calibrado dessa maneira, definido como zero e, então, pode ser usado para medir.

Nossa calibração inicial é não querer nada para nós mesmos, de modo a não sermos subornados e não julgarmos com viés. Nós realizamos essa calibração na dezena. Se eu tentar entrar no centro da dezena e quiser me conectar a todos os meus amigos, redefinirei meu dispositivo. Agora, deste zero, eu posso começar a responder corretamente ao Criador, ao Seu impacto em mim.

Zerar já é um ponto de partida que permite que ninguém obtenha nada para si mesmo, mas apenas para a dezena. Eu não tenho outro indicador além da dezena para verificar que não recebo nada para o meu egoísmo. Se há amigos na minha frente de quem eu penso, eu me anulo perante eles. Acontece que eu pessoalmente me torno neutro, ou seja, zero.

Dessa maneira, construímos o dispositivo correto para a percepção do Criador. Sob a influência da força superior, começamos a despertar para a doação mútua na dezena. O Criador nos dá o poder de doação pelo qual revelamos que Ele está entre nós. Afinal, começamos a nos relacionar dessa maneira na dezena e recebemos a propriedade de Bina, doação, a força da fé acima de nossa resistência, nosso conhecimento.

A resistência também começa a ser sentida mais porque chega uma força que flui dentro dos laços que nos conectam, como se fosse um dispositivo eletrônico, e sentimos resistência dentro de nós. Dessa maneira, medimos a diferença de potenciais: entre doação – acima, e recepção – abaixo, que são chamadas de “fé” e “conhecimento”.

E esses passos de fé e conhecimento começam a subir: a força do nosso egoísmo cresce e a força de doação cresce, e assim subimos. A diferença de potenciais entre Malchut e Bina, por assim dizer, permanece a mesma – as sete Sefirot de Zeir Anpin.

No começo era apenas zero. Mas depois cresceu gradualmente para sete Sefirot. Zeir Anpin é o Partzuf da minha alma que acabou de nascer. A alma cresce no ventre de Bina devido à sua conexão com Malchut, que se anula em relação a Bina.

Sete Sefirot de ZA – este é o lugar onde eu revelo toda a realidade. Nesta lacuna entre o conhecimento e o conhecimento acima, estão todos os mundos, todo o universo. Não há mais nada. Acima de Bina já existem as propriedades do Criador: Keter, Hochma, Bina. Abaixo de Bina estão as propriedades de ZA, que acaba de nascer. E Malchut é o desejo de desfrutar criado pelo Criador. Portanto, além dessas propriedades que desenvolvo entre Malchut e Bina, não há mais nada: essa é toda a minha realidade.

Da 2ª parte da Lição Diária de Cabalá 25/06/20, Escritos do Baal HaSulam, “Introdução ao Estudo das Dez Sefirot”, Item 15

Comente