Shavuot – O Feriado De Encontrar Uma Conexão Com O Criador

laitman_744Um feriado especial está chegando – Shavuot, o feriado da entrega da Torá. Ele simboliza a revelação da Torá para nós, isto é, a conexão entre o Criador e o povo.

Isso aconteceu cerca de três mil e quinhentos anos atrás, no deserto do Sinai, perto do monte Sinai. Tais símbolos existem em nosso mundo porque cada raiz espiritual é obrigada a tocar seu ramo material.

Esse feriado é significativo, pois uma pessoa recebe uma conexão com a força superior. Caso contrário, continuaríamos sendo animais que existem sem rumo no planeta Terra, que está correndo em algum lugar em um espaço sem vida.

Agora podemos nos conectar com a própria força que criou o universo, o globo e as pessoas nele, e que lançou todo o processo de evolução. Podemos descobrir o que está por trás desse processo, quais são as formas de relações entre nós e o poder superior.

Shavuot é um grande feriado, porque celebramos a conexão com o Criador, que nos permite ressurgir desta vida, de sua falta de objetivo e falta de sentido, acima dessa existência animada. Não há feriado maior do que a entrega da Torá; tudo começa com ele! Se não fosse por ele, nossas vidas seriam em vão.

Permaneceríamos animais comuns nascidos para viver e morrer. A Torá nos dá a oportunidade de nos elevar acima de nossas vidas, compreender o poder superior e entrar na eternidade, perfeição, em outra dimensão que se baseia na doação, não na recepção.

Nosso mundo existe apenas dentro do egoísmo, recepção, e o mundo espiritual existe em prol da doação; portanto, ele é eterno e perfeito. Graças a esse meio, chamado Torá, temos a oportunidade de subir do mundo inferior para o superior.

Portanto, nós celebramos Shavuot, na qual não existem muitos símbolos: roupas brancas e laticínios são símbolos de doação. Essas são todas as características deste feriado.

Segundo a história, a entrega da Torá ocorreu depois que o povo de Israel deixou o Egito, ou seja, depois de fugir da intenção egoísta e cruzar o Mar Vermelho (Yam Suf), o que significava romper com o egoísmo e entrar no deserto do Sinai, o lugar onde o ódio (Sinaa) entre desejos altruístas e egoístas é revelado.

Então a pessoa enfrenta uma montanha de dúvidas. Har (montanha) vem de Hirhurim (dúvidas). Quantas objeções temos contra o desejo de doação nos são reveladas e precisamos trabalhar nelas. Por isso, gritamos: “Onde está a ferramenta que nos permitirá alcançar a doação? Nós não temos tanta força!”

Então, obtemos um poder do alto chamado “a luz superior”, “Torá”, isto é, “luz” (Ohr), “programa”, “técnica” (Ora’a). Assim, começamos a nos desenvolver propositalmente.

Até agora, estamos fazendo correção após correção em nosso egoísmo, geração após geração, até chegarmos ao fim da correção. Tudo isso é possível graças ao poder oculto da Torá, que é chamado de “a luz que retorna à fonte”, a mais alta luz da correção.

Nos dias deste feriado, há um poder especial no mundo. Se estudarmos juntos, ele nos levará adiante.

Da 3ª parte da  Lição Diária de Cabalá, 27/05/20, Escritos do Baal HaSulam, “Matan Torá [A Entrega da Torá]”

Comente