Desenvolvimento Da Alma No Útero

Laitman_507.05Não faz diferença quem somos, pois onde quer que vivamos, cada um de nós tem um registro de dados (Reshimo) de onde ele está e seu estado na alma geral de Adão. Essa é a razão pela qual o Reshimo é chamado de ponto no coração.

Taamim significa que quem quer provar um bom gosto na vida, deve prestar atenção ao seu ponto no coração, ao embrião da alma, a gota espiritual de sêmen.

Toda pessoa tem um ponto no coração, exceto que não brilha. Pelo contrário, é como um ponto preto. O ponto no coração é o discernimento de Nefesh (alma) de Kedusha (santidade), cuja natureza é um vaso de doação.

No entanto, ela está em um estado de Shechina (Divindade), no pó, o que significa que a pessoa a considera como nada. Em vez disso, para ela, ela é tão importante quanto o pó. Isso é chamado de Nekudot (pontos).

A solução é aumentar a importância dela e torná-la importante como Tagin (coroas), como “uma coroa na cabeça”. Isto é, em vez de ser pó, como antes, ela deveria enfatizar a importância dela de ser como uma Keter (coroa) em sua cabeça.

Nesse momento, Nefesh de Kedusha se expande em Otiot (letras), ou seja, no Guf (corpo), pois o Guf é chamado Otiot. Em outras palavras, a Kedusha se espalha do potencial para o real, chamado Otiot e Guf” (Os Escritos do Rabash vol. 3, artigo 34, “TANTA” (Taamim, Nekudot, Tagin, Otiot)

… exceto que não brilha. Pelo contrário, é como um ponto preto. Uma pessoa nem sente que pertence a alguma coisa ou a alguém. Mas se ela começa a sentir isso, já é um passo à frente. É dado a uma pessoa a base de um sentimento de que falta alguma coisa e, se começar a desenvolver seu desejo, ela pode seguir em frente.

O ponto no coração é o discernimento de Nefesh (alma) de Kedusha (santidade), cuja natureza é um vaso de doação. Enquanto uma pessoa não desenvolve o desejo de doar internamente, ela sente seu desejo como um ponto negro. É assim que começamos nosso caminho espiritual neste mundo, quando sentimos que estamos em um beco sem saída por causa das circunstâncias que nos levaram até lá, e nada nos atrai e nada nos empurra. O ponto preto nos empurra para a frente, mas é por sofrimentos e dúvidas e não por desejo ou pela luz que brilha adiante.

No entanto, ela está em um estado de Shechina (Divindade) no pó, o que significa que o Criador está envolto em preto, em uma capa que não entendemos e não achamos atraente, e que a pessoa não valoriza, o que significa que a considera como nada. Ela não vê nada e, pelo contrário, toda a sua vida começa a parecer inútil, sem gosto e sem sentido. Por fim, ela é empurrada à frente como resultado da incerteza e do vazio, e quer encontrar um sentido na vida, mas nada é esclarecido para ela nesse meio tempo. É assim que começa o desenvolvimento in utero da alma de uma pessoa.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 16/02/20

Comente