“O Que Acontecerá Com Israel Durante A Pandemia De Coronavírus?” (Times Of Israel)

O The Times of Israel publicou meu novo artigo: “O Que Acontecerá Com Israel Durante A Pandemia De Coronavírus?

À medida que o coronavírus se espalha pelo mundo, fazendo com que populações inteiras pareçam pequenas em sua presença, foram estabelecidas condições pelas quais a humanidade pode sofrer uma grande mudança, de sua ênfase na preocupação pessoal de indivíduos e nações para uma ênfase mais equilibrada com natureza – onde todos consideramos o benefício da humanidade.

De fato, os cidadãos de muitas nações exemplificaram uma tremenda responsabilidade mútua no alinhamento com as novas condições. Em particular, o povo chinês cumpriu com muito cuidado e rigor as regulamentações de seu governo e já mostra sinais de recuperação da crise.

A disciplina e a responsabilidade mútua dos cidadãos de um país em resposta a bloqueios governamentais, restrições de viagens e medidas de distanciamento social são de fato a chave para se recuperar da pandemia. Existem países que têm uma qualidade disciplinar característica, sendo a China um deles, também a Alemanha, onde espero que esses países se recuperem mais cedo do que outros, devido à sua diligência em manter as diretrizes de seu governo.

Onde está Israel nesse processo? Israel é um animal completamente diferente.

Mesmo diante de uma crise que cerca todo mundo, Israel – tanto no nível governamental, onde seus líderes não mostram nenhum movimento para sair do impasse político, quanto no nível social, onde grandes segmentos da população ignoram as diretrizes do departamento de saúde para evitar grandes reuniões – se mostra como a última nação na fila a superar suas diferenças e unir suas forças na presença de uma ameaça maior.

A relutância de Israel em se unir, mesmo durante uma pandemia global, exemplifica o que a Torá escreveu sobre a nação, que o povo de Israel é um “povo obstinado” [i] que segue a “teimosia de seus corações maus”. [ii] Em outras palavras, a natureza humana egoísta que reside em todas as pessoas – que a Torá descreve como “má”, uma vez que leva as pessoas a prejudicar outras pessoas em sua ênfase no benefício próprio em benefício de outras pessoas – é distintamente maior no povo de Israel.

Não é que Israel seja desorganizado em sua reação à pandemia. Devido à vasta experiência e preparação de Israel para situações de guerra, seus sistemas estão sempre em alerta para responder rapidamente a situações de emergência. Assim, a resposta rápida de Israel ao coronavírus não tem nada a ver com o nível de responsabilidade mútua de seus cidadãos, mas é meramente devido à necessidade de Israel de coordenar respostas imediatas aos movimentos de guerra de seus países vizinhos.

Além disso, em relação às restrições impostas pelo governo, ainda vemos certos segmentos da população ignorando as diretrizes e continuando a se reunir. O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu alertou que até o final de abril em Israel, o número de pessoas infectadas pelo coronavírus poderá chegar a 1 milhão, o que significaria cerca de 10.000 fatalidades, se seus moradores não cumprirem as restrições.

Portanto, em um futuro próximo, podemos esperar o resultado das populações dos países que aplicaram com sucesso esforços para se protegerem e daquelas que não o fizeram. Por enquanto, Israel mostra sinais de se preparar para uma grande disseminação do vírus. Por exemplo, enquanto o Ministério da Saúde de Israel estabelece diretrizes, é uma pena que elas não sejam aplicadas de maneira mais assertiva, a fim de restringir melhor a propagação do vírus.

Em resumo, precisamos nos isolar um do outro para impedir a propagação do vírus, por um curto período de tempo, porque ele está realmente se expandindo em todas as direções.

Eu mesmo quase nunca saio do meu quarto e, se o faço, certifico-me de manter uma distância de dois metros entre eu e os outros, exatamente como estipulado pelas diretrizes do Ministério da Saúde. Faço isso porque testemunhei em primeira mão o exemplo do meu professor, o Cabalista Baruch Shalom HaLevi Ashlag (o Rabash), vendo como ele seguia os regulamentos e recomendações do governo de uma maneira muito rigorosa. Ele aceitava as condições estabelecidas pelo governo como se fossem leis da natureza, porque tinha contato com o sistema completo da realidade e via como tudo é controlado a partir de uma única força que transmite regras e recomendações para o público seguir através do líderes e especialistas mundias.

Portanto, para o Rabash, não era apenas a funcionários do governo que ele estava obedecendo, mas a força superior da realidade. Da mesma forma, hoje, de cima, existem condições estabelecidas para nos distanciarmos socialmente para nossa própria proteção e porque ameaçamos os outros se não fizermos isso. Sendo assim, seria prudente seguir essas diretrizes.

Se conseguirmos sustentar as condições sociais de distanciamento, então, como escrevi e falei extensivamente, podemos fazer um uso otimizado do nosso tempo para aprender sobre a interconectividade e interdependência da natureza, sobre como somos partes inseparáveis ​​da natureza e que para experimentar uma resposta harmoniosa da natureza, em vez de pandemias e outros problemas, precisamos apenas nos conectar positivamente acima de nossas diferenças.

Em outras palavras, embora a natureza tenha nos enviado para nossas respectivas salas, idealmente devemos pensar em como podemos criar uma nova atmosfera na sociedade, onde pensamos em beneficiar os outros em detrimento do benefício pessoal. Se conseguirmos fazer isso, experimentaremos um novo tipo de realidade harmoniosa, como nunca vimos ou sentimos antes.

[i] “’Eu vi esse povo, disse o Senhor a Moisés, ‘e ele é um povo obstinado. Agora, deixe-me em paz, para que a minha ira se acenda contra eles e eu os destrua. Depois eu farei de você uma grande nação’”(Êxodo 32:9-10)

 [ii] O Senhor me disse: “Proclame todas essas palavras nas cidades de Judá e nas ruas de Jerusalém: ‘Ouça os termos desta aliança e siga-os. Desde que eu trouxe seus ancestrais do Egito até hoje, eu os avisei repetidamente, dizendo: “Obedeça a mim”. Mas eles não ouviram ou prestaram atenção; em vez disso, seguiram a teimosia de seus corações maus. Por isso, trouxe até eles todas as maldições da aliança que lhes havia ordenado que seguissem, mas que não cumpriram’” (Jeremias 11:6-7)

Comente