Despertar A Dezena Com Meus Esforços

laitman_923Chegou a hora de começar a avançar em direção ao objetivo sagrado, isto é, à revelação do Criador às criações neste mundo. Tudo está em nossas mãos; nada impede isso de nós. Todos os eventos que ocorrem no mundo, que supostamente nos atrasam, realmente nos ajudam a avançar em direção ao objetivo da criação, para uma melhor compreensão do propósito da vida. Eles nos ajudam a perceber o quanto nosso mundo precisa de uma ascensão espiritual: não para ser corrigido no mesmo lugar, mas para subir para um nível espiritual.

Ficará cada vez mais claro para todas as pessoas no mundo que não há saída e que mudanças fundamentais em nossa existência devem começar aqui. Existindo na forma atual, encontraremos um beco sem saída várias vezes. Não temos chance de continuar vivendo assim.

Chegou a hora de usar toda a nossa força e abrir o caminho para uma vida espiritual perfeita, para abri-lo à humanidade o mais rápido possível. De fato, todas as pessoas esperam inconscientemente por isso, mas não têm ideia do que isso depende.

Nosso grupo Bnei Baruch é formado por pessoas que o Criador convidou para entrar no mundo espiritual e se aproximar Dele. Devemos entender nossa responsabilidade e aproveitar esta oportunidade. Temos duas semanas de trabalho espiritual muito intenso diante de nós, e tentaremos fazer todos os esforços, o máximo possível, e certamente alcançaremos o elevado objetivo da vida.

Há momentos que são determinados de cima e há momentos que desencadeamos de baixo. Nós reservamos esse momento especial para a nossa reunião, a Convenção Mundial de Cabalá, e a abordamos através de grandes e longos esforços. Ao mesmo tempo, vemos eventos extraordinariamente temerosos se desenrolando no mundo. No entanto, é incrível como nada atrapalha nossos amigos que viajam para Tel Aviv para a Convenção. Aguardamos todos com impaciência ainda maior do que o habitual, prontos para recebê-los de braços abertos.

Esperemos que, pelo tempo que resta antes da Convenção, nos preparemos melhor para a conexão, para que, nas profundezas desta unidade, comecemos a revelar novas qualidades nas quais o Criador pede Sua revelação. Dos nossos esforços para se unir o máximo possível, veremos como o Criador nos mostra as condições para a Sua revelação. Nós devemos sentir isso.

Precisamos apenas revelar a necessidade de alcançar a equivalência com o Criador, de querer senti-Lo precisamente em Sua própria qualidade de doação. Que Ele nos dê a qualidade de doação, e tenhamos o maior prazer de trabalhar com Ele. Aguardamos essa qualidade, embora nem saibamos exatamente o que é. Pedimos ao Criador que trabalhe conosco, estamos prontos para esta operação. Que Ele faça essa mudança em nós, implante a qualidade de doação em nós, desenvolva e ensine-nos. Queremos ser argila nas mãos do mestre, que Ele modele sua semelhança conosco.

O que é exigido de nós é apenas um desejo inicial e não mais. Não temos necessidade real de doação e somos incapazes de entender o que é; apenas aceitamos que o Criador faça de nós o que Ele quer. Isso é suficiente para o Criador começar a nos corrigir.

É difícil perceber como a conexão entre amigos, entre pessoas, pode estar conectada com a realização do Criador. Por que a revelação do Criador depende subitamente da unidade dos egoístas acima de seu egoísmo? Se eles se odeiam e se repelem, mas ainda assim se esforçam para se unir, esses esforços, centavo por centavo, acumulam-se em uma grande quantidade e constroem uma rede de conexão.

Dentro, toda essa rede está cheia de ódio, forças de rejeição, e esticadas sobre ela estão nossas tentativas tímidas de nos conectarmos. O sistema de ódio é tão sólido quanto o ferro. No topo, tentamos costurar esses blocos de ferro com fios finos, mas, enquanto tentamos, conseguimos tricotá-los cada vez mais. Começamos a descobrir que nesses fios muito finos que nos conectam, há uma qualidade especial: a força superior da luz, que é muito mais poderosa que as barras de ferro do egoísmo. Assim, começamos a sentir um ao outro.

É um processo muito longo, e que nos leva repetidamente ao desespero, mas o tempo faz seu trabalho e, finalmente, nos salva.

Devemos acreditar que o Criador organizará o grupo e os amigos para nós, para que tenhamos a oportunidade de revelá-Lo, de nos tornarmos semelhantes a Ele e, desse modo, dar-lhe satisfação. Tudo já foi arranjado de cima, e tudo o que precisamos é de prontidão, um pouco de esforço, e isso acontecerá. O Criador organiza todas as condições para nós acima e precisamos apenas dar nossa cota de esforço que está em nossa capacidade de doar. Tudo já está calculado acima. A parte superior está pronta para nos ajudar e, assim que concluirmos o que precisamos, encontraremos imediatamente o resultado correto. O Criador se abrirá e perguntará: “Bem, onde vocês estavam? Estou esperando há tanto tempo, mas vocês não estavam lá!

Vamos revelar tudo isso assim que fornecermos nosso desejo, o Kli, que está ao nosso alcance revelar.

Estamos prontos para a revelação; precisamos apenas combinar nosso desespero, esforços e aspirações, e será suficiente. O poder da oração depende de dois fatores: a consciência da impotência e da baixeza. Por um lado, sentimos que temos força insuficiente para revelar o Criador, mas o desespero pela insignificância de nossa condição é ainda mais necessário. E se combinarmos esses dois sentimentos, isso se tornará suficiente para o apelo certo. O Criador vê que percebemos nossa inutilidade e é revelado a nós.

Se o Criador não nos ajudar, estaremos perdidos. Você tem que sentir isso com todo o seu ser. Nós realmente queremos alcançar a fusão com o Criador devido à equivalência de nossas qualidades, para nos tornarmos doadores, e pedimos apenas isso. Caso contrário, isso não é vida.

Não há mais nada a fazer, chegamos ao limite: se o Criador não me der a qualidade de doação, eu desapareço. Se Ele não me conectar com o grupo, eu estou perdido. Eu oro para me deixar agarrar aos meus amigos para apoiá-los com todas as minhas forças, servi-los, dar e ajudá-los a alcançar seu objetivo. O que vai acontecer comigo não é importante, eu quero apenas o bem deles. Para fazer isso, venho à Convenção para ajudar meus amigos a alcançarem seu objetivo e me anular completamente.

Passamos por muitos estados diferentes. Às vezes, tal apatia ataca que a pessoa é incapaz de qualquer movimento de sentimentos, pensamentos e palavras; ela está completamente desconectada. E às vezes a pessoa queima de desejo, pronta para virar montanhas. O resto do tempo, ela está em algum lugar no meio entre os dois, em diferentes estados na mente e no coração.

A questão é como despertar a nós mesmos em todos os estados pelo bem da dezena. Não devemos esperar que o Criador nos desperte, e não devemos nos despertar individualmente, mas devemos acordar com a ajuda da dezena, despertando a dezena sozinhos. Esse é ponto principal. Tudo é apenas através da nossa conexão com os dez: despertá-los com nossos próprios esforços e depois ser inspirados por eles e agir.

Mesmo que não haja sentimento e pensamento para o Criador, mas realizamos ações materiais em relação ao grupo, tudo isso se soma à minha conta.

Portanto, não precisamos aguardar a misericórdia do Criador. O trabalhador do Criador é quem trabalha: onde o Criador não o desperta, não dá incentivos, ele procura acrescentar esforço, como um velho que procura algo perdido antes mesmo de perdê-lo.

Do Tish 14/02/20, “Preparação para a Convenção”

Comente