A Causa E Solução Mais Profundas Do Coronavírus De Acordo Com A Cabalá (Times Of Israel)

The Times of Israel publicou meu novo artigo: “A Causa E Solução Mais Profundas Do Coronavírus, Segundo A Cabalá

Representações do caos total surgiram em Wuhan, China, a cidade onde o coronavírus começou a se espalhar. 60 milhões de cidadãos estão sob toque de recolher, escolas em toda a região estão fechadas até novo aviso e as autoridades recomendam evitar qualquer contato desnecessário com as pessoas, incluindo apertar as mãos. A estranha praga também se espalhou rapidamente além das fronteiras da China, causando pânico em todo o mundo.

Se olharmos para esta situação através das lentes da sabedoria da Cabalá, não há nada de novo aqui. Tudo está se desenrolando naturalmente. A linha de pensamento egoísta embutida em nós nos faz imaginar o mundo como fixo e imutável, que somente nós, humanos, nos movemos em nossa realidade. Colocamo-nos, assim, no centro do mundo e imaginamos o controle que temos sobre o sistema da natureza com nossa natureza egoísta míope. No entanto, surtos como o coronavírus nos mostram que esse não é exatamente o caso.

Em nossos cinco sentidos de percepção, somos incapazes de ver que as mudanças que ocorrem em nosso mundo em constante mudança estão atualmente se desenvolvendo com uma trajetória negativa em relação a nós. Em nossa ignorância, nos opusemos à natureza.

A matéria-prima da criação, denominada “o desejo de desfrutar” na sabedoria da Cabalá, está em constante crescimento. Nos seres humanos, esse desejo é expresso com uma qualidade egoísta adicional, onde pretendemos realizar esse desejo de desfrutar às custas dos outros. Assim, nos tornamos inflados com a autoimportância, destacando-se mental e emocionalmente um do outro. Devido à tendência destrutiva do desejo egoísta de desfrutar às custas dos outros, os Cabalistas descrevem essa qualidade como a “inclinação do mal”.

Com uma natureza tão egoísta, nos deparamos com um sério paradoxo: por um lado, por natureza, queremos desfrutar, descansar e usar qualquer pessoa e qualquer coisa para conseguir o que cada um de nós considera agradável. Por outro lado, se não conseguirmos cobrir a inclinação ao mal com uma boa, com a intenção de beneficiar os outros, nos preparamos para a autodestruição.

O ritmo da expansão da epidemia de coronavírus deve ser visto como um sinal de alerta para que percebamos que estamos prestes a enfrentar desafios incontroláveis ​​da natureza. Até hoje, o desequilíbrio entre as forças do bem e do mal, ou seja, entre o desejo de beneficiar os outros e o desejo de desfrutar apenas para o benefício próprio, emergiu lenta e gradualmente em pequenos incrementos. Nesse ritmo mais lento, tivemos tempo suficiente para desenvolver anticorpos para combater as mutações, mesmo que apenas temporariamente.

No entanto, com a taxa de mudança exponencialmente acelerada, poderemos enfrentar uma praga desastrosa no futuro, a menos que aprendamos a equilibrar essas qualidades – nossa inclinação humana de viver à custa de todos e a característica da natureza que exige conexões altruístas entre todos os aspectos do ambiente, incluindo os humanos. No momento, nos colocamos tolamente contra a natureza em uma batalha perdida.

Não há crueldade aqui por parte da natureza. A natureza opera por leis fixas e absolutas, a fim de nos desenvolver para um estado perfeito, equilibrado e harmonioso. Assim, precisamos apenas descobrir qual é o nosso papel nessa natureza e procurar como podemos nos tornar um elemento ativo e benéfico da natureza.

Nosso papel principal no sistema da natureza é funcionar como o componente essencial que traz equilíbrio ao mundo através da realização da lei primária da natureza: “Ame o seu próximo como a si mesmo”.

De acordo com a sabedoria da Cabalá, quando tentamos nos conectar com fios de amor, nos alinhamos à força positiva da natureza, tornando-nos semelhantes a ela. Ao fazer isso, fazemos surgir um “vírus do amor” entre nós, e ele se espalha por nós para a natureza em todos os seus níveis: inanimado, vegetativo, animado e humano. Em suma, conexões humanas positivas, onde cada um de nós pretende se beneficiar, equilibrarão todos os males do mundo.

Um Comentário

  1. Entendo que tudo é exatamente como contas na Cabalá

Comente