Textos arquivados em ''

Use O Conselho Dos Cabalistas

laitman_249.01De acordo com o processo correto de avanço, quanto mais avançamos, mais sentimos desamparo, incompreensão, insensibilidade e decepção em nós mesmos. Já temos algum tipo de pista sobre a força espiritual que está à nossa frente, mas ainda não somos capazes de trabalhar com ela. Então, nos encontramos em um estado completamente desesperado sobre o qual está escrito: “E os filhos de Israel suspiraram da obra, e eles choraram, e seu clamor subiu a Deus da obra”. Este é exatamente o sinal de que estamos nos aproximando da entrada do mundo espiritual.

Aqui, toda a questão é quem passará neste teste e quem não passará. Quem se apega a seus amigos consegue. E os sábios e orgulhosos que mantêm distância do ambiente e do grupo se desentendem. As forças da natureza permitem a entrada na espiritualidade apenas para aqueles que estão prontos para se unir. Aqueles que ainda não estão em tal unidade são aqueles que deixam que as forças da natureza os operem. Unir significa querer que essas forças, tanto negativas quanto positivas, ajam sobre nós e arranjem tudo para que possamos preencher nossas células vazias no Kli (vaso) comum, na alma de Adam HaRishon.

Quem concorda com isso entra no mundo superior. Diminuir o orgulho é de extrema importância aqui. O principal obstáculo é quando a pessoa se imagina como um indivíduo independente que entende e toma decisões em vez de ser uma pequena célula de Adam HaRishon. Essa abordagem enfraquece bastante a pessoa.

Tudo é alcançado apenas pelo poder da oração, isto é, ao concordar que todas as correções são feitas em você e você se entrega ao grupo e ao Criador. Baal HaSulam, Carta nº 57: “Segue-se do exposto que tudo, pequeno ou grande, é obtido apenas pelo poder da oração. Todo o labor e trabalho a que somos obrigados são apenas para descobrir nossa falta de força e nossa baixeza – que somos impróprios para qualquer coisa por nossa própria força – pois então podemos derramar uma oração de coração diante Dele”.

Talvez eu ainda não consiga perceber a espiritualidade com meu coração ou minha mente, mas sei de uma coisa: eu tenho um escudo – minha dezena. Eu me agarro a essa dezena como um bebê se agarra à mãe, pendurado nela como um macaco. Se não fosse o grupo, eu entraria nessa vida corporal e, tendo saído do caminho espiritual, me tornaria uma pessoa comum.

Esse escudo se expandirá e se tornará minha conexão com toda a alma de Adam HaRishon, onde devo cumprir meu papel com relação a todas as almas: receber delas e doar-lhes. Esta é a lei para a existência de uma célula saudável em um corpo saudável no mundo material. É preciso também se comportar de maneira semelhante na espiritualidade.

Quer você queira ou não, você chegará a ela de qualquer maneira. Mas se estamos no caminho espiritual, usamos o conselho dos Cabalistas para preceder o golpe com o remédio, para avançar com aceleração pelo caminho da luz antes mesmo de embarcar no caminho do sofrimento. E os Cabalistas nos aconselham a fortalecer nossa conexão com o grupo, caso contrário teremos que avançar pelos golpes, que levarão centenas de anos e muitas vidas. Se aplicarmos nosso próprio esforço, atingiremos a meta em alguns anos. 1

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá, 03/02/20, Clamor Comum ao Criador (Preparação para a Convenção no Deserto)
1 Minuto 19:00

O Homem Pede E O Criador Concede

laitman_936Pergunta: Seguindo a Cabalá, nós como que voltamos a um ponto de energia superior. Para fazer isso, precisamos de um grupo de pessoas, pessoas afins, porque o poder da unificação se manifesta apenas nele. Isso significa que esta bola de energia ou o Criador tem a propriedade da unificação?

Resposta: O Criador é um e, para compreendê-Lo, precisamos alcançar a unidade. Isso só pode ser alcançado se lutarmos por Ele, se de alguma forma O dominarmos.

Pergunta: O que exatamente precisamos alcançar: a unidade com Ele ou a unidade entre nós?

Resposta: As propriedades da unidade, ou seja, a unidade de todos os opostos. Portanto, os Cabalistas apontam que a melhor maneira de conseguir isso é se reunir em um grupo e tentar se conectar de tal maneira que haja compreensão absoluta, interação absoluta, fusão absoluta, unificação ao ponto do amor.

Tudo isso estará acima do oposto de nossas propriedades. Por um lado, começaremos a distinguir cada vez mais entre nossas contradições. E, por outro lado, teremos a oportunidade de nos elevar acima deles.

Pergunta: Figurativamente falando, como os átomos, enquanto se amam, combinam e formam moléculas, ou como uma célula do corpo ama outras pessoas e quando combinadas com elas formam algum tipo de órgão como nós?

Resposta: Sim. Isso ocorre na natureza inanimada, vegetativa e animada; existe um poder superior coercitivo, o Criador, que os controla total e claramente, sem exigir aprovação, suporte ou solicitação de um objeto governado.

Portanto, todos os níveis da natureza, exceto as pessoas, executam inconscientemente as ações do Criador. Ele nos controla para que todos peçam conscientemente ao Criador para corrigi-los e se conectar com os outros. Aqui a pessoa se torna uma companheira de viagem, aliada e parceira do Criador.

Isso é muito importante porque, na medida em que começamos a sentir os problemas que o Criador coloca diante de nós, começamos a pedir que Ele resolva esses problemas. Ele resolve esses problemas combinando um homem com outros, com toda a natureza: inanimada, vegetativa, animada e humana. Acontece que o Criador concede a uma pessoa condições, a pessoa pede, e o Criador concede.

Pergunta: Isto é, todos os problemas e obstáculos que nos são dados nesta vida são necessários para direcionar todos a um estado mais próximo com outras pessoas?

Resposta: Sim. E neste estado mais próximo entre pessoas opostas, o Criador se revela.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 11/03/19

A Singularidade Da Força Que Nos Opera, Parte 6

laitman_243.05Na Encruzilhada Dos Mundos Exterior E Interior

Pergunta: Quem sou “eu” em relação ao Criador? Se Ele é interno, Ele é externo, e não há outro além Dele, portanto, existe um “eu”?

Resposta: Isso é chamado a parte do meio da Sefira Tiferet. Externamente, tudo vem do Criador, dentro de mim tudo também vem do Criador, e eu tenho esse chamado ponto médio, que não está fora e nem dentro, mas na encruzilhada, na junção, dos meus mundos externo e interno. Este ponto é o meu ponto pessoal. Não se aplica ao Criador externo ou interno. Eu preciso descobrir esse ponto interior e seguir em frente.

Enquanto estou nele ou fora deste ponto, começo a agir como se o Criador preenchesse inteiramente meu mundo externo e interno enquanto estou envolvido em todas as minhas ações externas e internas, no meu inconsciente e em qualquer outra coisa. Ao conseguir isso, chego a um estado em que não há realmente outro além Dele, e esse é o significado e o fim da minha correção.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 24/11/19

Forças Governantes Ocultas

Laitman_524.01Pergunta: Duas forças operam na natureza: a força altruísta que desenvolve a criação e a força egoísta responsável pela diversidade da natureza e nossa individualidade, sentimentos e emoções. A combinação correta entre elas constitui o relacionamento mútuo correto em uma dezena?

Resposta: Sim. Sempre sentimos o contraste entre as duas forças.

Pergunta: Devemos nos tornar como a força altruísta em desenvolvimento?

Resposta: Mas é impossível alcançá-la, percebê-la e apreciá-la se não houver uma força egoísta oposta a ela. A Cabalá não fala em erradicar nada na natureza; fala apenas em alcançar o equilíbrio.

Pergunta: Então, essas duas forças estão escondidas de nós?

Resposta: Até a força egoísta espiritual está oculta de nós, sem mencionar a força altruísta, que está em absoluta ocultação. Existindo no nível animal do nosso mundo, nós percebemos um pouco a força egoísta, vemos o que ela representa. Mas ainda assim, essa não é a força egoísta espiritual.

Pergunta: Como podemos trabalhar em uma dezena se essas duas forças, a altruísta e a egoísta espiritual, estão ocultas? Em que consiste o nosso trabalho?

Resposta: Essas forças estão ocultas, mas nós temos a oportunidade de nos aproximar dos amigos, estudar a Cabalá com eles, tentar mudar nosso estado em relação um ao outro e apoiar-nos mutuamente. Por fim, começaremos a examinar as forças que nos aproximam ou nos repelem.

De KabTV, “Fundamentos da Cabalá”, 20/03/19

Nova Vida # 1189 – A Importância Da Educação Para O Desenvolvimento Humano

Nova Vida # 1189 – A Importância Da Educação Para O Desenvolvimento Humano
Dr. Michael Laitman em conversa com Oren Levi e Yael Leshed-Harel

O nível de humano ou falante de desenvolvimento, o nível de Adão, só acontece através da educação, de acordo com a sabedoria da Cabalá. Uma pessoa sem instrução se comportará como um animal selvagem e fará o que é bom para si mesma a todo momento, sem nenhuma consideração pelos outros. Os humanos, no sentido mais amplo do termo, são aqueles que se preocupam com o benefício dos outros. Eles têm um sentimento de amor por todos. A sabedoria da Cabalá ensina a pessoa como se assemelhar ao Criador, o poder do amor e doação, aderindo ao princípio: “E você amará seu amigo como a si mesmo”. O ambiente molda o desejo humano à imagem de uma pessoa boa que age como uma bússola para a tomada de decisões. A educação começa com os pais, mesmo antes da gestação, e se estende até o último dia da pessoa.

De KabTV, “Nova Vida # 1189 – A Importância da Educação para o Desenvolvimento Humano”, 17/12/19