Liberdade De Escolha, Parte 7

laitman_560“Destino” Do Ponto De Vista Cotidiano

Pergunta: Se considerarmos o destino não em relação à correção final, mas do ponto de vista cotidiano: quem se tornar, com quem se casar, que tipo de filhos terei, que problemas etc., isso pode ser mudado?

Resposta: É muito difícil, porque, para isso, devemos educar os futuros casais com antecedência para entender o sentido da vida, o propósito da vida, a realização desse propósito e o quanto eles estão prontos para isso.

Selecionar esses casais à medida que se preparam, entendendo o que devem sacrificar, o que devem deixar de lado, e, pelo contrário, com o que devem se ajudar e como devem se apoiar mutuamente para alcançar esse objetivo. Muito trabalho tem que ser feito aqui.

Eu espero que, se não em nossa geração, então na próxima, as pessoas façam isso porque a humanidade chegará a um estado de separação de qualquer solução para os problemas da família. As pessoas vão parar de se casar e ter filhos. Não vão entender por que precisam disso! Até o ponto em que até os instintos sexuais “congelarão” nelas. Este é um problema que será tratado através da questão do sofrimento.

Pergunta: Mas, por outro lado, por que eu devo mudar alguma coisa se, digamos, entendo ou acredito que existe certa força superior, e ela me leva ao objetivo da criação?

Resposta: Ela leva você pelo caminho do sofrimento. No entanto, você não se percebe como pessoa. Se você segue o fluxo, você é um animal.

Pergunta: Se eu não faço esforços conscientes para mudar a mim mesmo, a força superior age sobre mim na forma de sofrimento?

Resposta: Como em qualquer animal. Nesse momento você é chamado de animal. E você é chamado de homem apenas nos momentos em que você mesmo vê o objetivo e exerce forças para se aproximar dele.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 04/04/19

Comente