Veja O Criador Somente Através Das Lentes Da Dezena

laitman_919Se ansiamos pelo Criador, precisamos nos convencer de que Ele só pode ser alcançado através da dezena. Isso requer prova e não pode ser desprezado, porque o caminho da dezena vai contra o nosso egoísmo. Como você pode querer isso? É fácil se unir apenas em um time de futebol, onde fica claro que você pode ganhar a taça apenas como um time unido. Porém, em um grupo Cabalístico, o egoísmo bloqueia o caminho e não nos permite que apenas através da unificação podemos alcançar o objetivo. Levará muito tempo até começarmos a concordar com isso, ter certeza e perceber que é assim. 1

O que é amor de amigos? O que devo dar a eles? Devo dar tudo a eles e dissolver neles sem deixar vestígios, como açúcar na água, para senti-los. 2

O fio que me liga ao Criador é o poder da minha aspiração em relação a Ele, que sai do meu coração e se estende em Sua direção. Eu não sei quem é o Criador, mas de alguma forma O imagino, me apego a esse conceito. Mas se o Criador é o poder do bem, como posso entrar em contato com Ele se não há nada em comum entre nós? Esse fio é infinito, porque nossa conexão existe apenas no lado do Criador, da maneira como Ele a criou. E do meu lado, não posso contatá-Lo.

Se quero sentir a conexão com o Criador, tenho que encontrar pelo menos a menor propriedade de doação semelhante a Ele. Mas como posso fazer isso? Preciso concentrar todos os meus esforços em conectar na dezena e usá-la para me espremer o máximo possível, como em um diafragma em uma câmera.

Se você projetar um raio de luz em uma tela através de um pequeno orifício, poderá obter uma imagem nítida e invertida. A câmera pinhole (estenopeica), a câmera obscura, que serviu de protótipo para as primeiras câmeras, funcionava de acordo com esse princípio. Quanto menor o diâmetro do furo, mais nítida a imagem. Esse buraco é a dezena. Me espremendo na dezena, em vez deste mundo, começo a ver os contornos do mundo futuro. Devemos construir a mesma lente que foca todos os raios de luz na dezena.

Eu preciso de uma lente que foque minha visão, porque sou fragmentado internamente e composto por dez propriedades: HaVaYaH. Se eu racionalizar minhas propriedades, me torno parte do sistema e começo a sentir o que está fora de mim.

Com uma câmera material, vemos a imagem real e sua fotografia. Mas na espiritualidade, não vemos o objeto em si até construirmos uma lente, ou seja, um grupo. Se eu tenho uma lente espiritual, dezena em que me uno como Malchut das nove primeiras Sefirot, eu ganho conhecimento e um sentido do Criador através de meus amigos e começo a ver o mundo espiritual.

O que eu vejo: os amigos ou o Criador? Eu vejo o Criador nos amigos. Os amigos são as lentes através das quais verei o Criador. O Criador não tem imagem, nome ou expressão, exceto o que pode ser sentido através da dezena. A dezena são dez Sefirot, minha casa natal, minha vida e minha alma. Anulando-me em relação aos meus amigos, posso ter certeza de que me anulei em relação ao Criador.

O Criador não tem imagem, cor, cheiro ou formas percebidas por nossos sentidos: visão, audição, paladar, olfato e tato. Essa força é revelada apenas de acordo com a nossa capacidade de nos conectarmos. Nós percebemos o Criador como uma fotografia. Portanto, precisamos construir uma base sobre a qual revelá-la.

Um campo magnético pode ser detectado apenas na presença de uma seta magnetizada que começa a girar, indicando a presença de certa força. A seta indica em qual direção o campo de força atua.

Já que não conhecemos o Criador, precisamos de um dispositivo, uma bússola, para revelá-Lo, e a bússola é a dezena. Todos os detectores para detectar certos fenômenos devem ser um pouco semelhantes a esses fenômenos. Para descobrir um campo magnético, precisamos de um ímã, e para descobrir a espiritualidade, precisamos de uma dezena. Se eu me anulo diante da dezena e a sirvo, eu a giro como uma flecha da bússola e revelo a conexão com o Criador.

Quanto mais unido o grupo está na direção da meta da criação e do Criador, mais ele se foca no Criador e nos permite vê-Lo e revelá-Lo. De fato, ele não revela o Criador, mas Suas propriedades acima do egoísmo e do conhecimento e, portanto, manifesta a imagem do Criador e se torna um instrumento para Sua revelação.

Eu tenho que reunir todos nós juntos no círculo mais apertado, em um pequeno buraco através do qual verei o Criador como através de uma lente de foco. Eu uno todas as nove propriedades de meus amigos em relação a mim mesmo em uma, comprimo todos os nove fenômenos em um conceito, anulando com meu desejo o egoísmo que os separa e, dessa forma, vejo o resultado: começo a ver o Criador. Acontece que eu O crio. 3

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 18/11/19, Endurecimento do Coração – Um Convite para Construir um Anseio pelo Criador
1 Minuto 20:20
2 Minuto 26:52
3 Minuto 30:50

Comente