À Luz Através Do Centro Da Dezena

laitman_283.02“A vantagem da luz é de dentro da escuridão”. Assim, o Criador nos envia vários distúrbios no caminho, para que possamos ver onde tropeçamos, onde encontramos obstáculos, que limites não podemos atravessar, como se estivéssemos procurando uma passagem entre árvores e pedras. Nossa tarefa é entender que todos os distúrbios vêm do Criador, além de quem não há mais nada, e mais importante, não se concentrar nos problemas em si, mas atribuí-los ao Criador e tentar se elevar acima deles.

O Criador nos dá dificuldades para que, ao superá-las pela fé acima da razão, eu avance através delas. Isso dá satisfação porque vejo que há um governante no mundo que cuida de mim, que me ensina dessa maneira. Foi exatamente assim que estudei na escola, onde recebi exercícios e tarefas que tive que resolver. É o mesmo agora, quando o Criador me envia todo tipo de dificuldade, me confunde e arruína meu humor; eu preciso atribuir tudo a Ele e por meio disso adoçar os julgamentos.

No começo, todo mundo faz esse trabalho individualmente, mas recentemente o atribuímos cada vez mais ao grupo. Isto é, não considero mais meus distúrbios pessoais, como mau humor, confusão e problemas, mas estou preocupado com minha conexão com o grupo. Não atribuo apenas os distúrbios ao Criador, mas percebo todos os distúrbios como uma oportunidade de aderir ainda mais ao centro da dezena. Assim, eu avanço trabalhando com os distúrbios. De fato, esses não são distúrbios, mas ajudam no caminho, porque dessa maneira a força superior nos leva ao objetivo.

Anteriormente, o objetivo era atribuir tudo ao Criador que é bom e faz o bem, mas agora eu também preciso, através de todos os distúrbios, me direcionar para o centro do grupo. Sempre veremos como, através de todos os obstáculos, descidas, problemas pessoais, comuns e globais, o Criador nos direciona corretamente para a meta, que se torna cada vez mais clara. 1

O Criador desperta em mim os desejos despedaçados, as partes despedaçadas e, portanto, sempre são revelados como problemas, me machucam, me assustam, me desequilibram. Mas eu sei que tudo isso é dado para me ajudar e me guiar ao propósito da criação. Para ser corretamente direcionado ao objetivo da criação, devo apontar para o centro do grupo. Isso, no entanto, é complicado, porque vai além dos limites do meu desejo egoísta.

Estou pronto para admitir que tudo vem do Criador; afinal, quem recusaria a conexão com a força superior? Estou até preparado para perceber todo mal como bom, é do meu interesse egoísta ser protegido por um governante benevolente e me esconder de todos os problemas, como na religião. Mas o próximo estágio, o centro da dezena, já está um passo fora do meu egoísmo. Aqui preciso do forte apoio do grupo em que posso me apoiar. Caso contrário, nem voltarei para o lado correto, mas afundaria cada vez mais dentro de mim.

Nosso trabalho agora é atender a três condições:

  1. Entender que a força superior está agindo em tudo e não há mais nada além dela;
  2. Essa força é o bom que faz o bem;
  3. Chegar a isso a partir do centro do grupo – essa é uma terceira condição adicional.

Então, vamos nos aprofundar nas investigações e revelar detalhes adicionais até chegarmos à verdadeira realização. O Criador nos dá não um, mas nove discernimentos; afinal, é assim que o sistema superior é construído. A conexão da luz com o desejo só é possível através dos nove discernimentos da luz e um discernimento do desejo. O desejo tem uma inclinação: receber satisfação. Há nove guloseimas diante de mim e preciso saber como me relacionar com cada uma delas para trazer satisfação ao anfitrião.

Portanto, existem as nove primeiras Sefirot e Malchut, e Malchut deve se equiparar a elas. Cada uma das dez se vê como Malchut e os amigos como as nove primeiras Sefirot. O Criador é revelado a mim através dos amigos de diferentes formas, negativas e positivas, que despertam inveja, raiva e ambição em mim, e devo me ajustar cada vez para que, através da doação aos nove amigos, eu doe ao Criador.

É assim que começo a sentir que minha atitude em relação ao grupo me dá a atitude, o entendimento e a ilustração real do fato de estar agindo dentro de um Kli espiritual. Todos os conceitos espirituais, como luz direta, refletida ou interior, Hizdakchut (purificação) do Masach (tela), serão revelados dentro do grupo através de seu centro.

Malchut se transforma nas nove primeiras Sefirot, apoiando-as, revelando-as e brilhando nelas. Não há luz nas nove primeiras Sefirot até Malchut se restringir, elevar a luz refletida e começar a trabalhar com seu mal. Então a luz brilhará nas nove primeiras Sefirot, isto é, nas qualidades do Criador em meus nove amigos. Graças ao fato de justificar meus amigos ao rejeitar meu egoísmo, aderir a eles como pequenos aos grandes e valorizá-los, eu desperto neles a luz que verei.

Vou revelar o Criador neles. Acontece que não há mais amigos, mas é tudo uma manifestação do Criador para mim.

No entanto, se não passarmos tudo pelo centro da dezena, simplesmente permaneceremos na religião. Esta é a diferença entre religião e a sabedoria da Cabalá. A Cabalá requer a realização através da nossa conexão. 2

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 26/11/19, O Centro da Dezena

1 Minuto 0:50
2 Minuto 13:20

Comente